Esta semana a Defesa Civil Municipal alertou sobre uma das maiores secas dos últimos 20 anos em Rondonópolis, que derrubou o nível do Rio Vermelho para apenas 1,30 metro. A preocupação da Defesa Civil, e que também já foi apontada há cerca de um mês pelo A TRIBUNA, é com a possibilidade de ser necessário instituir um racionamento de água na cidade. Naquela época atrás, o Serviço de Saneamento Ambiental de Rondonópolis (Sanear) garantiu que mesmo com a estiagem, a cidade não teria problemas no fornecimento de água. Mesmo assim, é preciso que a população também contribua e isso se faz pelo uso racional da água.

O Brasil vem enfrentando uma das maiores crises hídricas das últimas décadas, com problema maior nos reservatórios de água das regiões Sudeste e Centro-Oeste, que estão em níveis baixíssimos, o que mostra que a situação é realmente preocupante e pode trazer problemas de abastecimento de água e também na geração de energia elétrica.

A questão é que a água não é um recurso infinito. O uso racional, sem esbanjamento, deveria ser a regra para todos durante todo o ano e não um assunto somente a ser discutido em período de estiagem. Existem regrinhas simples e básicas e que podem ser feitas facilmente sem que haja nenhum prejuízo, como não lavar calçadas com mangueira e reaproveitar a água da máquina de lavar. Desligar as torneiras enquanto escova os dentes e enquanto ensaboa a louça, além de cronometrar o tempo do banho. São ações simples e que todos podem fazer.

Quando se fala em sustentabilidade, o uso consciente da água está incluso. Com a sociedade agindo em conjunto fica mais fácil evitar problemas que têm grandes impactos negativos para todos, como é o caso do racionamento de água e luz.

Em Rondonópolis, a expectativa é de que isso não ocorra neste ano mesmo com a estiagem recorde, segundo o que diz o Sanear. Mas se não houver consciência, poderá ser uma realidade a ser enfrentada muito em breve.

1 COMENTÁRIO

  1. Lá no residencial marechal Rondon, tem uns 10 vazamentos de cano nas calçadas ou na rua. É água potável jorrando pelas ruas. Ligamos pro sanear e ele não faz sua parte que é enviar uma equipe urgente pra consertar o vazamento. Atrás da escola estadual Maria Elza no bairro, tem um vazamento , onde a água jorra em enorme quantidade e já faz uns 10 dias e até agora o sanear não foi consertar aí pede pra população economizar água? A gente liga no sanear pra denunciar um vazamento, aí eles querem que vc fale o número da matrícula da conta de água de frente onde está o vazamento. Acorda sanear

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui