Adonias Fernandes: “Outro articulador da antecipação da eleição da nova diretora da Câmara Municipal…”

1 – SENHORES E SENHORAS,
nesta semana que passou os assuntos referentes à política municipal começaram a ficar bastante agitados, após segundo um fonte da Coluna informar que os vereadores Júnior Mendonça (PT) e Adonias Fernandes (MDB) têm seus nomes cogitados para comandar a mesa diretora da Câmara Municipal de Rondonópolis no biênio 2023/2024. Mendonça como presidente e Adonias na condição de primeiro-secretário. No último dia 20, um projeto foi assinado por 14 dos 21 vereadores, prevendo a antecipação da eleição, foi protocolado na Casa Leis. A proposta que era para ser votada na quarta-feira (21), em regime de urgência, foi frustrada após uma decisão do presidente vereador Roni Magnani (SD), que recusou colocar em votação um requerimento para incluir na pauta, em regime de urgência, a votação do projeto que visa a antecipação da eleição da mesa diretora.

Magnani justificou que não colocou o requerimento de urgência porque foi protocolado após as 48 horas de antecedência previstas no Regimento Interno. Sendo assim, caberia a ele, como presidente, decidir de forma fundamentada, pois não há como considerar urgente a antecipação de uma eleição prevista para acontecer daqui há mais de um ano. Além de tudo, Roni Magnani explicou que regime de urgência é para matérias que envolvem riscos de prejuízos irreparáveis, o que não é o caso de um projeto que antecipa a eleição da mesa diretora.

NOS BASTIDORES
do Poder Legislativo o que se comenta é que a proposta não teria legalidade, uma vez que a antecipação da eleição teria que partir de um projeto da mesa diretora atual e não dos vereadores. No entanto, essa não é a primeira vez que a Câmara Municipal antecipa a eleição da Mesa Diretora. Em 2017, por exemplo, os vereadores aprovaram a antecipação da eleição para o biênio 2019/2020, elegendo na época o vereador Cláudio da Farmácia como presidente da Casa de Leis. Em 2014, a eleição também foi antecipada e elegeu presidente o ex-vereador Fulô.

AGORA A PREVISÃO
é que o projeto entre em votação no próximo dia 28, durante uma sessão ordinária. E até lá, com certeza muitos desdobramentos devem ocorrer, e já precavidos com medo de uma possível “desmanche” os vereadores que compõem o chamado Grupo dos 14, que defendem a antecipação das eleições para a escolha da mesa diretora para o próximo biênio, decidiram partir para o isolamento, com o intuito de evitar assédio, principalmente por parte do prefeito Zé Carlos do Pátio (SD) e seus assessores, que nos últimos dias chegaram a visitar os vereadores Reginaldo dos Santos (SD), Marildes Ferreira (PSB) e Batista da Coder (SD), e outros para tentar desmontar o grupo. Mas assédio também parte do grupo dos 14 querendo convencer mais vereadores para a antecipação da eleição da Casa de Leis.

Júnior Mendonça: “Líder de toda a articulação que visa antecipar as eleições da mesa diretora…”

2 – E PARA QUEM
acompanha a Coluna, anteriormente já prevemos a possibilidade de Zé do Pátio “amargar” muito com a eleição do vereador petista Júnior Mendonça, o qual é o líder persuasivo de toda esta articulação que visa antecipar as eleições da mesa diretora. Em nossa avaliação, caso o grupo dos 14 consiga seu propósito, o prefeito não terá a facilidade que tem hoje para aprovação de projetos. Ainda mais se for eleito Júnior Mendonça, o qual certamente dará o troco de uma traição política por parte de Zé do Pátio em seu mandato anterior.

Ocorreu que Júnior Mendonça era do partido de Zé do Pátio, o Solidariedade, tendo disputado a eleição municipal em 2016 e ficado como suplente. O combinado era que haveria um rodizio com os suplentes do SD e Mendonça assumiria como vereador por um período. O combinado não foi cumprido e Pátio deixou Mendonça a “ver navios”, mas ele muito articulador, se filiou ao PT e traçou a estratégia para ser eleito e ainda lançou com o PT um candidato a prefeito. Inclusive nas eleições passadas, Pátio esteve quase implorando o apoio do PT na sua reeleição, mas ganhou um não.

AVALIAMOS
que Júnior Mendonça se mostrou muito forte unindo no grupo vereadores tanto de Direita como eleitos pelo SD e os que compõem a base do prefeito na Câmara. No grupo articulado por Júnior Mendonça estão vereadores com linha de direita, com o doutor José Felipe (Pode), Paulo Schuh (DC), Kallynka Meireles (PRB), Marisvaldo Gonçalves (PSL), Kaza Grande (DC) e o Subtenente Guinancio (PSDB). Ainda estão no grupo vereadores da base do prefeito, como Ozéias Reis (PP), Batista da Coder (SD) e Reginaldo Santos (SD). O grupo dos 14 é completado pelo vereador Júnior Mendonça (PT), Marildes Ferreira (PSB), Investigador Gerson (MDB), Adonias Fernandes (MDB) e Cido Silva (PSC).

3 – QUEM IMAGINA
que Zé do Pátio não está movimentando o tabuleiro político, com objetivo de emplacar uma pré-candidatura a governador nas próximas eleições, está enganado. Mais uma evidência deste projeto foi que o grupo de político ligado ao prefeito teria ido a Brasília (DF), para tratar diretamente com o presidente nacional do Partido Socialista Brasileiro (PSB), Carlos Siqueira, sobre uma possível filiação de Pátio ao partido, que já anunciou a pretensão de candidaturas a prefeito em todos os estados. Seria uma coincidência ou não?

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui