Secretário de Educação de Mato Grosso, Alan Porto: é o momento de retornar (Foto – Divulgação)

Vinte e quatro Estados devem retornar as aulas em agosto. O retorno foi discutido em encontro conjunto dos conselhos nacionais de Secretários de Saúde (Conass) e de Secretários de Educação (Consed), realizado nesta terça-feira (20/07) em Brasília. Em Mato Grosso, as aulas na forma do ensino híbrido (metade presencial e metade remoto) retornam no dia 3 de agosto.

“A maioria dos Estados, em torno de 24, vão retornar suas atividades até agosto, levando em consideração todos os protocolos já estabelecidos. Somente três manifestaram que não têm uma data prevista para retorno”, disse após a reunião o secretário de Educação de Mato Grosso, Alan Porto.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

Ele conta que um técnico do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) expôs todas as informações para que os secretários de Educação tomem a decisão, como a média móvel, números de contaminação, quadro de vacinação, novas variantes e ocupação dos leitos de UTI, além da infraestrutura das unidades escolares.

“Foi demonstrado que houve boa performance no número de profissionais da educação que foram vacinados no Brasil. Eles entendem que é o momento de retornar”, informa o secretário Alan Porto.

O professor Nereu Mansano, pediatra e um dos técnicos do Conass, participou do debate sobre o retorno presencial das aulas. “Precisamos o mais breve possível promover o retorno das aulas presenciais. Sempre com responsabilidade e o cuidado necessário”, afirma.

 

Em Mato Grosso, as aulas na forma do ensino híbrido (metade presencial e metade remoto) retornam no dia 3 de agosto (Foto – Mayke Toscano)

PREPARAÇÃO DE ESCOLAS EM MT
Em novembro do ano passado as escolas de Mato Grosso começaram a receber verbas para ações de prevenção à disseminação do vírus. E adquirir todos os materiais necessários para os protocolos de biossegurança, como álcool em gel, máscaras, termômetros, lavatórios e materiais para sinalização das unidades.

Este ano, os recursos para as escolas investirem em manutenções preventivas e corretivas foram reajustados de R$ 33 mil para R$ 100 mil. Os repasses automáticos para custeio das escolas estaduais tiveram aumento de 47%. Além disso, todas as unidades tiveram capacitação e orientação para o enfrentamento ao covid-19

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here