Neri Geller: “O meio político vem percebendo que o deputado federal está sempre presente em Rondonópolis, mais que o deputado federal Medeiros…”

1 – SENHORAS E SENHORES,
ultimamente as discussões e definições políticas estão “mais paradas que água de lagoa”. Antes da crise da pandemia da Covid-19, em um ano anterior as eleições de um ano seguinte, como este de 2021 tendo em vista as eleições de 2022, muita coisa já estaria em andamento e previsões políticas eram mais precisas. No entanto, pelo menos ainda se ventila alguma coisa. Hoje a notícia que a possível candidatura de Zé do Pátio (SD) ao governo do Estado, poderá ser viabilizada caso ele assine ficha no Partido Progressista, mesmo partido do ruralista e deputado federal Neri Geller, o qual estaria com o relacionamento político bem afinado com o prefeito.

Além de tudo, Pátio tem grande simpatia com a sigla do PP e também o PSD, que tem como liderença o senador Carlos Faváro, o qual Pátio anda bem afinado e ainda recebendo emedas milionárias que já se somam mais de R$ 40 milhões que serão investidos na cidade. Como podemos perceber são partidos que “tem café no bule”, como diz o apresentador de televisão Carlos Massa, o Ratinho, tendo em vista que Fávaro e Geller são dois gigantes do agronegócio e capazes de doações suficientes para bancar uma campanha ao governo estadual, projeto que não custa barato. E como sabemos, neste bloco, Pátio também está afinadíssimo com o deputado estadual Nininho (PSD), outro personagem com bastante “Café no Bule”. E pelo o que vemos, num bloco desse o que não vai faltar é estrutura de campanha, caso o prefeito queira mesmo alçar voos maiores, ultrapassando os pedágios que podem impedir qualquer projeto político.

Zé do Pátio: “Com possíveis apoios de Fávaro, Neri Geller, Nininho… o cacife do prefeito aumenta para uma disputa ao governo estadual…”

MAS SERÁ MESMO
que Pátio irá disputar uma eleição destas, pois em todas as outras que disputou nunca teve nada a perder, ou seja, a diferença agora é que se for disputar a governança estadual, de imediato terá que renunciar ao cargo de prefeito. Já em outras eleições que disputou no cargo de deputado estadual, a legislação não previa a sua renúncia.

E lembramos, caso Pátio entre no páreo do governo estadual, quem assume é o seu vice-prefeito o empresário Ailon Arruda, filiado ao partido do deputado Nininho, ou seja, o PSD, que teria dois anos para governar a segunda maior economia de Mato Grosso e ainda tendo Ailon chances de reeleição nas próximas eleições municipais.

2 – E O QUE O MEIO
político vem percebendo é que o deputado federal Neri Geller está sempre presente em Rondonópolis, até mais que o deputado federal José Medeiros (Pode), o qual ultimamente só aparece na mídia com discursos políticos supérfluos sobre Direita o Esquerda e não apresenta quase nada de investimentos para a cidade. Até hoje o pouco que apresentou foi para a Santa Casa. Enquanto alguns estão ausente na cidade, o deputado Neri Geller está “coladinho” em Zé do Pátio, e como prega a lenda local, quem anda com Pátio consegue uma boa transferência de votos, fato que poder ser verdade, lembrando que Pátio apoiou nas últimas eleições gerais o deputado federal doutor Leonardo (SD), o qual agora está distante de Pátio e também da cidade, onde teve muitos votos, talvez graças aos cabos eleitorais do prefeito.

3 – SABEMOS
que a Prefeitura está prestes a entregar para a população um amplo prédio que foi construído na área do antigo aeroporto, para ser a sede da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat). É publico e notório que a questão da Unemat na cidade virou pauta política, pois muitos nomes da política querem ser o “o pai da criança”, e logo Pátio para se destacar neste projeto, fez parceria com a iniciativa privada e peitou a construção da obra.
Em uma análise mais política, Pátio poderá ganhar muita visibilidade no Estado com este projeto, ainda mais se o governo estadual colocar empecilhos pra receber a doação da obra. Numa dessas, é claro que Zé do Pátio não vai perder o discurso a nível de Estado de que construiu uma sede para a Unemat em Rondonópolis e o governo não quis receber.

4 – AGORA
sobre o empresário Thiago Muniz (Dem), que disputou a eleição para prefeito no ano passado, entendidos em politica tem comentado muito que ele, apesar de ser derrotado nas urnas, não foi vencido, pois poderá muito bem construir seu nome para uma futura candidatura, pois o primeiro passo foi dado, sendo que durante a última campanha construiu um espólio popular muito grande, pois fez o corpo a corpo em todos os bairros da cidade, onde os moradores tiveram a oportunidade de conhecer verdadeiramente a identidade humilde e filho de professora que o empresário tem origem.

Amigos mais próximos do empresário, tem dito ao Colunista que Thiago Muniz mantém vivo o sonho de um dia ser prefeito da segunda economia do Estado. A quem diga que para manter a chama acesa, ele deverá disputar um cargo político no próximo ano e o mais indicado é para deputado estadual. No entanto, Muniz ainda não tem se manifestado a público sobre isso, mas a militância que herdou do ex-prefeito Percival Muniz tem discutido muito sobre isso.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here