Categoria tem agora local exclusivo de vacinação contra covid-19, no campus da Universidade Federal de Rondonópolis (UFR) – (Foto: Divulgação)

Após o mal-estar envolvendo a decisão inicial de não promover uma vacinação específica para profissionais da educação, a Prefeitura de Rondonópolis voltou atrás e ontem (9) promoveu mudanças na imunização contra covid-19 dessa categoria, ampliando a faixa etária de profissionais contemplados e reservando um local específico para o processo. Mesmo assim, a medida não agradou muito, com afirmações de que o Município não vem respeitando o Plano Nacional de Imunização (PNI), que incluiu os profissionais da educação no grupo prioritário da vacina.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

Até então, o Município vinha aplicando a vacina nos profissionais da educação sem nenhuma diferenciação em relação à população em geral sem comorbidade, isto é, conforme critério de idade, seguindo a mesma faixa etária da população em geral. Nesta quarta-feira (9/6), por exemplo, recebiam a vacina as pessoas sem comorbidades com 54 anos ou mais. Com a mudança, a Secretaria de Saúde de Rondonópolis começou a imunizar, na tarde de ontem, os profissionais da educação com idade a partir de 50 anos.

A categoria também ganhou um local exclusivo de vacinação, no caso, pelo sistema de drive-thru no posto de atendimento instalado no campus da Universidade Federal de Rondonópolis (UFR), sempre das 8h às 16h30. O grupo a partir de 50 anos continua sendo vacinado no local até esta sexta-feira (11). Segundo explicado, a restrição da vacina para os profissionais a partir dos 50 anos ocorreu em função de que são 1.609 doses destinadas para atender a categoria.

“Estaremos ampliando a vacinação para outras faixas etárias deste grupo profissional assim que novas doses forem disponibilizadas para o município”, externou a coordenadora da equipe de imunização da Secretaria Municipal de Saúde, a enfermeira Cibelly Carvalho. E essa possibilidade de ampliação deve ocorrer rápido, considerando que ontem o Estado recebeu 57.250 doses da vacina da Astrazeneca e na terça-feira (8), mais 36.270 doses da vacina da Pfizer.

A categoria, no entanto, esperava uma vacinação ampla dos profissionais. “Rondonópolis não está cumprindo o PNI. O critério de vacinação dos profissionais de educação não é por idade, mas sim por segmento, iniciando pelos profissionais das creches. Já há vários profissionais desse segmento em aula presencial na rede particular”, externou Érica Reis.

Ainda assim, o Município entende que essa ampliação é a medida possível no momento e que a pretensão é agilizar o processo para que haja a possibilidade da retomada das atividades presenciais na rede pública com mais segurança.

Para o profissional da educação com mais de 50 anos se vacinar, é necessário apresentar documento com foto e comprovante de atuação, como por exemplo a cópia atualizada do holerite.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here