O encontro, realizado anteontem, foi liderado pelo prefeito Zé Carlos do Pátio – (Foto: Divulgação/assessoria)

A Prefeitura de Rondonópolis confirmou oficialmente que, de fato, poderá deixar o Consórcio Regional de Saúde. “Conforme foi exposto na reunião entre os prefeitos, ontem [anteontem], existe a possibilidade de Rondonópolis deixar o Consórcio Regional de Saúde sim. Em relação a mudanças, o prefeito de Rondonópolis questionou os valores que os municípios pagam ao Consórcio em relação à parte repassada pelo governo do Estado e também sobre a taxa de administração que também é paga ao Consórcio por todos os municípios. No caso de Rondonópolis, o município paga ao Consórcio o chamado per capita mensal de cerca de R$ 231 mil e ainda a taxa de administração que gira em torno de R$ 69 mil por mês. Esses valores são referentes a serviços de saúde como consulta de médicos especialistas e cirurgias”, informou o Município.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

Conforme divulgado ontem pelo A TRIBUNA, a Comissão Intergestores Bipartite do Estado de Mato Grosso (CIB), vinculada à Secretaria de Estado de Saúde, é que vai definir o futuro, ou seja, a extinção ou não do Consórcio Regional de Saúde. Em Rondonópolis, prefeitos e secretários de saúde da região Sudeste de Mato Grosso estiveram reunidos para discutir a possibilidade de ampliação do atendimento aos pacientes infectados pela covid-19 caso entrem em acordo sobre a atuação do Consórcio Regional de Saúde.

O encontro foi liderado pelo prefeito de Rondonópolis, José Carlos do Pátio, juntamente com o secretário de Saúde do Município, Vinícius Amoroso. A ideia de deixar o Consócio já vem sendo cogitada desde o mês de março.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here