Segurança Bruno de Lima Pereira foi absolvido após menos de dois anos na prisão (Foto – Arquivo)

O segurança Bruno de Lima Pereira, 27 anos, preso pelo assassinato de Renecléia Aparecida Bispo, 41 anos, ocorrido no dia 24 de setembro de 2019, na portaria do condomínio Village do Cerrado, foi absolvido pela Justiça, em sentença assinada na última quarta-feira (26), pelo juiz da 1ª Vara Criminal de Rondonópolis, Wagner Plaza Machado Júnior.

O segurança é acusado de matar Renecléia Aparecida Bispo dentro do condomínio de luxo com pelo menos 10 tiros. Mas, de acordo com o advogado Júnior Mendonça, que defende o acusado, a defesa provou em juízo a insanidade mental de seu cliente na época do fato.

“Ele foi absolvido por uma questão legal. A partir de vários laudos feitos por peritos da Politec, foi constatado que Bruno é esquizofrênico e, conforme o laudo, o mesmo não possui condições de entender o caráter ilícito do fato, o tornando inteiramente incapaz. A sentença determinou que Bruno seja submetido a uma medida de segurança e que o mesmo passe por tratamento ambulatorial, que será acompanhado de perto pelo juiz da execução penal, devendo ser informado sempre a evolução do tratamento”, explicou o advogado.

O crime – Segundo as informações, a vítima e o suspeito trabalhavam no condomínio. O homem, vigilante, teria se aproximado de motocicleta, sem capacete e usando o colete de trabalho, e descarregado a arma contra a vítima. Ele municiou o revólver novamente e voltou a atirar em Renecléia, fugindo em seguida.

Advogado de defesa Júnior Mendonça: foi constatado que Bruno é esquizofrênico

No dia 26 de setembro de 2019, o acusado foi capturado na madrugada na região central de Rondonópolis, por volta das 3h35. De acordo com o Boletim de Ocorrência (BO), em patrulhamento pelo Centro durante a madrugada, os policiais o viram andando a pé em direção ao bairro Jardim Amizade (endereço da casa da mãe do suspeito). Ao realizar a abordagem, Bruno foi identificado como o homem procurado pelo homicídio e foi dada voz de prisão. Na sequência, ele foi encaminhado para a 1ª Delegacia de Polícia.

No momento da prisão, os policiais conversaram com o suspeito, que disse que cometeu o crime porque a vítima o teria ofendido. “Ela me faltou com respeito e desacreditou da minha pessoa, e me levou a fazer isso”, disse aos policiais na época. Bruno ainda relatou que, após ficar por quase dois dias escondido na mata, tentou retornar para a cidade em busca de água e comida na casa da mãe.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here