Vista aérea da entrada da Gleba Rio Vermelho, que deve ser atingida por traçado do novo contorno rodoviário (Foto – César Augusto)

Os representantes da Associação Nova Aliança Gleba Rio Vermelho estão reivindicando da Concessionária Rota do Oeste as informações técnicas do projeto do contorno rodoviário da BR-163-364 em Rondonópolis, cujo traçado deve trazer impactos em 315 propriedades rurais da Gleba Rio Vermelho. A informação foi repassada ao A TRIBUNA pelo presidente da entidade, Nelsivon Silva Gomes.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

“Já solicitamos por meio de ofício que a concessionária realize uma reunião para explicar as informações técnicas e como será o processo de desapropriação ou indenização dos proprietários das áreas. Sabemos que no traçado previsto tem áreas que serão divididas ao meio, e isso nos deixa preocupados. Cerca de 70 propriedades podem ser divididas ao meio. Mas até agora a Rota do Oeste não nos atendeu e nem enviou a nota técnica solicitada”, disse.

Conforme publicado pelo A TRIBUNA, a Rota do Oeste tinha um prazo de sete anos, a contar de março de 2014, para providenciar a construção do novo contorno rodoviário da BR-163 no perímetro urbano de Rondonópolis. Contudo, esse prazo não foi cumprido. Até então, sabia-se que a concessionária vinha analisando opções de traçado, impactos ambientais e sociais a serem gerados, entre outros estudos, para então fazer o projeto executivo da obra.

Segundo apurado pela reportagem, parte dos moradores da Gleba Rio Vermelho avalia a construção do contorno rodoviário, ou rodoanel, como a chegada do desenvolvimento na região, no entanto, outra parte de proprietários rurais que terão o impacto direto do traçado em suas propriedades está com dúvidas e receios sobre o projeto, inclusive cogitam sugerir alteração do traçado para atingir o mínimo possível de propriedades.

De acordo com moradores, o desvio da rodovia, para formar o contorno rodoviário, será a partir do Posto da PRF de Rondonópolis, passando por várias propriedade rurais, inclusive a região da Gleba Rio Vermelho, cruzando a “Rodovia do Peixe” e ligando novamente a BR-163, na altura da Cervejaria Petrópolis.

1 COMENTÁRIO

  1. Nos não precisamos de anel viario, e só fazer o rebaixamento da rodovia atual fazer viadutos como em São José rio Preto e não prescisa desapropriar ninguém é fica muito mais barato simples assim

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here