Todas as vezes que necessitei
A senhora estava lá
Todos problemas que passei
Estava apta a me escutar.

Suas lutas e batalhas
Também presenciei
Foram tantas as jornadas
Que de perto observei.

Em meu primeiro emprego
A senhora que me levou
E em vários outros
A senhora me entusiasmou.

Quando tive meus filhos
Podia ver em teus olhos o brilho.
A senhora que curava os umbigos
E nos protegia dos inimigos.

Sua cruz está pesada
Difícil demais para carregar
Mesmo tendo a minha carregada
Quero poder te ajudar.

Quando precisei da senhora
Sempre me estendeu a mão.
Então chegou a hora
De sermos campeão.

Me ensinaste o caminho que devo andar
Dai-me suas mãos, vamos juntas caminhar.
Então sua missão conosco se cumpriu
Toda expectativa de uma mãe supriu.

(*) Nilvaine Castro Alves é Poeta e Bibliotecária em Rondonópolis.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here