Deputado Claudinei e Valdir Correia apresentam demanda para a superintendência do Incra – (Foto – Divulgação)

Para a concessão de uma área situada no Assentamento União do Sul à Universidade Federal de Rondonópolis (UFR), no propósito de implantar um Campo de Pesquisa Tecnológica, o deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) e o assentado Valdir Correia se reuniram, nesta segunda-feira (3), em Cuiabá, com o superintendente Marcos da Cunha e o chefe de Divisão de Desenvolvimento, Elton Antônio, do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária de Mato Grosso (Incra). Na oportunidade, foram passadas as devidas orientações e processos a serem atendidos para que a instituição pública de ensino superior possa pleitear o terreno.

De acordo com Valdir, o assentamento abrange os rios Areia e Vermelho, sendo que o parcelamento de lotes ocorreu em 1999 e que, atualmente, possui 166 famílias assentadas. Em relação a área a ser utilizada pela UFR, ele explica que na época não estava em boas condições e ficou desocupada.

“É uma área plana de 102,5 hectares.Entre os anos de 2012 a 2013, o Incra cedeu para a associação, com prazo provisório de cinco anos, para fazer o plantio de mandioca coletiva que favoreceu a produção de farinha”, salienta.

A Universidade já criou um grupo de professores, elaborou projeto e precisa de uma área para pesquisa que vai permitir trazer o curso de Agronomia, explana Correia.

“Teve uma equipe da UFR que já esteve lá com a reitora Analy. Eles precisam do campo rural. Estão fazendo requerimento, o projeto de como vai ser utilizado, os benefícios que vão trazer e apresentar os investimentos ao Incra”, detalha o assentado.

“Existe a possibilidade de doação, cessão ou concessão de uso do bem público. Como a UFR é uma entidade pública e federal, ela entraria com cessão de uso, em prazo que pode variar de 20 a 30 anos. Ela faz o pedido fundamentado, porque quer a área que é a parte mais importante”, esclarece o chefe de Divisão, Elton Antônio.

Valdir aproveitou o encontro para expor que as regiões sul e sudeste de Mato Grosso apresentam uma grande dificuldade na regularização fundiária.

“A dificuldade se deve, porque o Incra só trabalha com processos digitalizados e tem que estar no sistema da instituição. A maioria dos assentados só está com o documento no papel, são cerca de 5,8 mil processos. Estes aí, 500 estão digitalizados”, queixa.

Demandas

Além dessa situação de Rondonópolis, o deputado Claudinei aproveitou para apresentar outras solicitações feitas por outros municípios, como necessidade de realizar a regularização fundiária das comunidades do Pontal da Glória, Gleba Bigorna e Jatobá, de Santo Antônio de Leverger; comunidades de Água Fria e Capão das Vacas II, de Chapada dos Guimarães; a comunidade Serrana, que fica localizada na Serra de São Vicente; e mais cinco assentamentos de Poxoréu. Também, foi apresentado o pedido para a homologação de alguns títulos de Guiratinga.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here