PUBLICIDADE
Deputado Carlos Avalone (PSDB), cassado pela acusação de caixa dois e abuso econômico – (Foto – Arquivo)

O Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE) manteve ontem (26) a cassação do deputado estadual Carlos Avalone (PSDB), pela acusação de caixa dois e abuso econômico na eleição de 2018. A decisão foi tomada em plenário por unanimidade e acolheu parte do recurso apresentado pela defesa do deputado.

Ele agora pode recorrer da decisão ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e tentar reverter a cassação. Enquanto isso, poderá permanecer no cargo na Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————————————————————————————————

 

 

Em dezembro, o TRE já havia votado pela cassação do deputado, mas a defesa apresentou um recurso para excluir um vídeo gravado por policiais na ocasião da apreensão de R$ 89 mil em data próxima a eleição de 2018 em um veículo no qual um dos ocupantes do carro confirmava que o dinheiro havia sido coletado no escritório do deputado em Cuiabá.

Segundo a defesa, o vídeo continha edição ilegal. No entanto, o TRE manteve o vídeo, sob argumento de que não havia nulidade no material, pois a confissão teria sido mantida na íntegra.

O TRE apenas acatou parte do recurso da defesa de deputado para corrigir uma troca de nomes contidas no acórdão da decisão de dezembro de 2020, quando os membros do tribunal decidiram pela cassação do mandato do deputado.

Carlos Avalone foi acusado de caixa dois e abuso de poder econômico depois da apreensão dos R$ 89 mil com um coordenador da campanha do deputado tucano e mais outras duas pessoas em um veículo que trafegava de Cuiabá para Cáceres.

A apreensão foi feito pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) na cidade de Poconé. No carro, também foram encontrados materiais de campanha do deputado.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here