PUBLICIDADE
Lideranças políticas e partidárias oficializaram a criação de um movimento da direita em Mato Grosso – (Foto – Divulgação)

Lideranças políticas e partidárias oficializaram, na noite desta sexta-feira (24), a criação de um movimento da direita em Mato Grosso, que visa unir os partidos alinhados com as pautas defendidas pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), e construir uma agenda política para o estado, com ações concretas de defesa dos interesses da população mato-grossense.

Além da construção de políticas de direita, o grupo também analisou o processo eleitoral de 2022 e a necessidade de se unirem para fortalecer o projeto de reeleição do presidente Bolsonaro e apresentar uma alternativa política em Mato Grosso para a disputa pelo Governo do Estado e Senado, como também a ampliação de representantes da direita na Câmara Federal e Assembleia Legislativa.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————————————————————————————————

 

 

“A união da direita em nosso estado é principalmente para atuarmos juntos em defesa de políticas públicas que possam melhorar a vida do cidadão. Concomitante a isso, temos a missão de defender o governo Federal, pois nunca um presidente fez tanto por Mato Grosso como o presidente Bolsonaro. Infelizmente, se apropriam das ações do Governo Federal, como é o caso do governador Mauro Mendes (DEM), e atacam o presidente já pensando no processo eleitoral do ano que vem”, pontua o deputado federal e vice-líder do governo Bolsonaro na Câmara Federal, José Medeiros.

No encontro, Medeiros apresentou as ações do governo Bolsonaro no combate à pandemia em Mato Grosso e o volume de recursos enviados para o estado. “O presidente divulgou o volume de recursos enviados para o Estado de Mato Grosso no ano de 2020, mas o governador Mauro Mendes disse que é fake news.

Precisamos restabelecer a verdade desconstruindo as mentiras e ataques ao governo Bolsonaro”, reforça o deputado federal.

Na reunião, que contou com a participação de dirigentes e lideranças de vários partidos, entre eles, o Podemos, PSL, PSC, Patriota, PRTB e DC, foi acordado a construção de um projeto político sem definições de nomes para a disputa eleitoral em Mato Grosso, especialmente ao governo.

“Sabemos que a nossa união é importante, mas o momento é de focar na construção de uma agenda conjunta para ajudar Mato Grosso e o país. Nosso foco, nesse momento, é o combate à pandemia e a recuperação da economia e dos empregos”, disse Medeiros, que teve sua pré-candidatura ao Senado lançada pelo presidente Bolsonaro na última segunda-feira (19).

Para o presidente do PSL de Mato Grosso, Aécio Rodrigues, a divisão da direita causou prejuízos ao grupo no estado e a eleição de nomes não alinhados com o presidente Bolsonaro.

“Temos os nossos interesses partidários, mas podemos convergir em nome de um objetivo maior. Sou simpático à candidatura do Medeiros ao Senado e de Reinaldo Moraes (PSC) ao governo, mas precisamos ter uma ação estratégica para ampliar a nossa representatividade em 2022”, disse o dirigente do PSL, que na reunião representou também os deputados estaduais Elizeu Nascimento (DC), Delegado Claudinei e Ulysses Moraes, ambos do PSL.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here