(Foto – Arquivo)

Há anos que a população de Rondonópolis cobra soluções para os problemas enfrentados com os serviços do INSS e com a pandemia, o que já era péssimo, ficou ainda pior.

E as dificuldades dos usuários não se limitam à perícia para o auxílio doença, mas abrangem demais benefícios. Além disso, a atual agência do INSS em Rondonópolis continua com estrutura precária, tanto fisicamente, com um espaço antigo, sem reforma e inadequado, quanto à estrutura de serviços fornecidos, com redução do quadro de servidores.

Os prejuízos aos usuários com a atual condição do INSS são vários. Os moradores de Rondonópolis, por exemplo, nem mesmo conseguem agendar uma perícia na cidade. São pouquíssimos os que obtém o agendamento local. A maioria precisa se deslocar para Cuiabá, Várzea Grande e até mesmo para outro Estado, como em Mato Grosso do Sul.

Somando a isso, está o longo tempo de espera pela realização da perícia. Atualmente, quem for fazer o agendamento neste mês de abril terá a perícia presencial marcada somente para outubro. Nesse meio tempo, o usuário que se vire se ficar sem renda.

Também estão sendo prejudicados os idosos com mais de 65 anos e deficientes, que não têm como se prover sozinhos e que precisam do Benefício de Prestação Continuada (BPC). A maioria não consegue obter o benefício e muitos acabam totalmente desassistidos.

Isso é grave, o BPC é justamente o benefício que serve para socorrer os mais vulneráveis e que não puderam ser segurados do INSS, que estão impedidos de trabalhar.

Na realidade não é possível que a situação permaneça dessa forma. Mesmo que já em outras ocasiões políticos da cidade tentaram intervir junto ao Governo Federal para buscar melhorias para a agência do INSS de Rondonópolis e não obtiveram sucesso, é necessário que tentem novamente. São os representantes da cidade que devem intervir diante desse quadro tão preocupante e que traz tantos prejuízos para os rondonopolitanos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here