Presidente do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Ingridh Farina, e o vereador Jonas Rodrigues, durante curso em Rondonópolis – (Foto – Divulgação)

A presidente do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 9ª Região (Crefito9), Ingridh Farina, declarou, durante visita a cidade para realização de um curso gratuito sobre “Atualização em Ventilação Mecânica na Covid-19” para os profissionais fisioterapeutas, que é urgente a organização da rede de reabilitação em Rondonópolis, ou seja, colocar em funcionamento o Centro de Reabilitação Pós-Covid, defendido pelo vereador Jonas Rodrigues (SD).

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

“Nós temos muitos pacientes que sobreviveram à Covid-19, após a terapia intensiva. Pacientes graves que ficaram muitos dias internados. Mas não só eles precisam de reabilitação, mas todos aqueles que passaram por complicações devido à Covid-19, em algum grau, precisam de reabilitação. Nós temos altos índices de pacientes que tem voltado para os hospitais com complicações mais severas por não terem o acompanhamento adequado no pós-Covid. Pacientes tem indo a óbito por não terem sido encaminhados para reabilitação”, atesta Ingridh.

“Então, é urgente a organização da rede de reabilitação dentro do programa que chamamos de alta segura, ou seja, o hospital já solicita a continuidade do tratamento do paciente fora do hospital e as equipes de reabilitação prontas para receber os pacientes adequadamente para começar os protocolos de reabilitação. Isso para que ele volte para suas atividades e para o trabalho. Mas sem saúde e sem poder respirar de forma adequada, isso se torna mais difícil”, complementa.

Além disso, a profissional defende que o serviço seja realizado de forma descentralizada, para que o atendimento seja mais amplo e humanizado.
Conforme publicado pelo A TRIBUNA, o poder público municipal tem defendido que o Centro de Reabilitação Nilmo Júnior tem condições de prestar o atendimento pós-Covid na cidade.

No entanto, a presidente do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional declarou à reportagem que o local ainda precisa de muitas adequações para prestar este serviço.

“Hoje o ‘Nilmo Júnior’ precisa de várias adequações, mas não apenas de equipe e equipamentos, mas de infraestrutura predial e tudo mais. Este centro poderá ficar para referência, mas precisamos organizar, equipar e estruturar. Além disso, indicar à rede de atenção primária quais as outras estruturas disponíveis para reabilitação pós-Covid”.

De acordo com o vereador Jonas Rodrigues, ele já fez vários encaminhamentos para o poder público para o atendimento pós-Covid.

“Fizemos vários encaminhamentos que resultaram na contratação de profissionais e abertura dos serviços no Nilmo Júnior. Mas ainda não é o atendimento necessário para atender toda demanda que a população precisa. Vamos conversar com prefeito para intensificar e melhorar o serviço e fazer a decentralização. E a sugestão é levar o serviço para os postos Sentinelas”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here