Dukan
O método foi criado pelo francês Pierre Dukan e tem como foco o consumo de proteínas. A dieta é dividida em quatro fases. As duas primeiras são direcionadas para emagrecer, enquanto as finais visam manter o peso alcançado. Veja, a seguir, no que consiste cada uma delas.
Fase 1 — Ataque
A etapa de ataque da dieta Dukan tem como objetivo a perda de peso acelerada e a motivação de quem quer emagrecer. Para começar, nas refeições da fase 1, são permitidos apenas alimentos ricos em proteína.
São 66 opções de alimentos para comer à vontade. A quantidade de cada um, assim como os horários e combinações, são de livre escolha. Entre as comidas que podem ser consumidas na fase de ataque, estão: frutos do mar, carne de frango e de coelho, laticínios, ovo e presunto magro.
Fase 2 — Cruzeiro
A próxima etapa tem como objetivo manter uma constante perda de peso até alcançar o ideal. A metodologia Dukan propõe a perda de 1 kg por semana durante a fase 2.
Ainda, são acrescentados legumes e verduras na indicação de alimentos permitidos. Hortaliças como abobrinha, espinafre, aspargos, alface estão na lista e, assim como na fase anterior, podem ser consumidos à vontade.
Fase 3 — Consolidação
Quem alcança o peso desejado na fase 2 segue para a próxima etapa da dieta: a consolidação. O objetivo é manter o peso e equilibrar a alimentação com o acréscimo de frutas, queijos, pães e carboidratos.
O tempo de duração da fase é de 10 dias para cada quilo perdido. Ou seja, se você perdeu 5 kg, serão 50 dias seguindo a dieta dessa etapa.
Outra questão sobre a alimentação na fase 3 é que são acrescentadas as chamadas “refeições de gala”. São momentos em que é permitido comer o que quiser, mas sem repetir.
Fase 4 — Estabilização
Na etapa final da dieta Dukan, todos os alimentos são permitidos. No entanto, é preciso manter três regras: comer apenas fontes de proteína nas quintas-feiras, caminhar 20 minutos por dia e ingerir farelo de aveia.
A caminhada e o consumo de farelo de aveia são práticas apontadas em todas as fases da dieta, assim como beber água. A metodologia Dukan tem benefícios para perder peso, como a variedade de alimentos permitidos e a sensação de saciedade provocada pelo consumo de proteína.
Por outro lado, a dieta também tem desvantagens, como o aumento do colesterol ruim pelo consumo elevado de gordura e a falta de energia pelo baixo nível de carboidratos.

Low Carb
Um dos tipos de dietas mais conhecidos, o método Low Carb tem como premissa a redução de carboidrato. É importante ressaltar que ela propõe a redução, não a ausência do nutriente.
Em uma alimentação diária, é indicado que, em média, até 55% das calorias ingeridas sejam de carboidratos. O que acontece nas dietas Low Carb é que esse percentual é diminuído para 40%. Em alguns casos, até menos que isso.
Ainda, é orientado para quem faz a dieta consumir carboidratos de baixo índice glicêmico e integrais, que facilitam o emagrecimento.
Como um dos pontos positivos, a dieta previne diabetes — devido ao consumo controlado de carboidrato. Já como ponto negativo, podemos citar o percentual de carboidrato que, quando está abaixo do indicado, é prejudicial à saúde.

DASH
Diferente das dietas que tem foco no emagrecimento, a DASH tem como principal meta reduzir e controlar a pressão arterial.
Foi desenvolvida pelo Instituto Nacional do Coração, Pulmões e Sangue dos Estados Unidos, e é baseada numa alimentação com menos sódio, gorduras saturadas e colesterol. A alimentação de quem segue essa dieta tem frutas, grãos, leite e derivados com pouca gordura, sementes e carnes menos gordurosas, como peixe e aves.
Uma das principais vantagens do método é que como a dieta não restringe nenhum tipo de alimento, os cardápios podem ser variados. Além disso, estimula o consumo de opções mais saudáveis.
É importante ressaltar que a dieta não tem como objetivo a perda de peso, por mais que isso possa acontecer. Dependendo do que se deseja, a falta de emagrecimento pode ser um ponto negativo.

Paleolítica
Se você sabe como era a alimentação dos ancestrais, vai entender sem mistério a premissa da dieta Paleolítica.
O nome faz referência ao período da pré-história, época em que eram consumidos apenas alimentos como carne de caça, pesca, frutas e vegetais. Na dieta, o cardápio segue a mesma proposta dos tempos das cavernas.
Muitas pessoas e seguidores da dieta afirmam que a Paleolítica não é apenas uma forma de comer, e sim um modo de vida. Ela prioriza a alimentação mais natural possível. Dentre as restrições para consumo, estão alimentos como massa, grãos e industrializados em geral. Além disso, fazer jejum também é uma das práticas de quem a segue.
Como benefício da dieta, podemos citar o consumo frutas e de carne. Ao mesmo tempo, se não for moderada, pode se tornar um malefício para a saúde, devido aos altos índices de proteína da carne e frutose, açúcar presente nas frutas.

Cetogênica
A dieta Cetogênica é centrada numa alimentação com mais gordura e menos carboidrato para perder peso. Você leu certo: mais gordura!
Na falta de carboidrato, o corpo busca na gordura a fonte de energia necessária. Esse processo é chamado de cetose, que deu origem ao nome da dieta. Quem segue o método tem opções como ovos, embutidos, azeite, manteiga, verduras e carne.
A principal vantagem da Cetogênica é o emagrecimento mais rápido. Isso acontece porque a dieta reduz consideravelmente os alimentos ricos em carboidratos. Em contrapartida, a falta desse nutriente pode causar mal-estar, tontura e tremores.
Esses tipos de dietas são seguidos por muitas pessoas, mas não é por isso que podem ser replicados sem moderação. Consultar com profissionais e buscar informações são atitudes que não podem faltar para quem vai começar uma dieta.

A Dieta Paleo
Esta é uma maneira natural de comer, que quase abandona toda ingestão de açúcar. O único açúcar em uma dieta Paleo vem das frutas. No entanto, abandonar o açúcar não é a única estipulação. Alimentos processados e grãos também são eliminados da dieta Paleo. Quanto menor o número de carboidratos em seu sistema, diminui a quantidade de glicose. Assim, seu sistema começará a usar gordura como fonte de combustível. Em uma dieta Paleo, os laticínios também são eliminados. Então, o que pode ser comido? Uma dieta Paleo consiste em peixes, aves, vegetais, frutas, nozes, óleos, batata-doce, ovos e carne, desde que a carne seja alimentada com capim e não com grãos.

A dieta do tipo sanguíneo
Alguns médicos começaram a pesquisar dietas que coincidem com determinados tipos de sangue. A premissa dessas dietas tenta combinar as pessoas com suas necessidades alimentares comuns com base em seu tipo de sangue. Por exemplo, indivíduos com sangue tipo O são recomendados a comer muitos alimentos ricos em proteínas. Para perder peso, sugere-se espinafre, carne vermelha, frutos do mar e brócolis, evitando laticínios. Recomenda-se que aqueles com sangue tipo A evitem carne e deêm ênfase ao peru, tofu e frutas, enquanto a perda de peso depende da ingestão de uma dieta que consiste principalmente de soja, frutos do mar e vegetais. Indivíduos com sangue tipo B e AB também têm suas próprias restrições e recomendações dietéticas.

A Dieta Vegana
Esta dieta é uma forma de dieta vegetariana, pois elimina a carne e produtos de origem animal. Um dos principais efeitos dessa dieta é reduzir a ingestão de colesterol e gordura saturada. Requer algum planejamento, mas se uma dieta vegana for racionada de maneira adequada, ela pode ter muitos efeitos positivos. Estudos provaram que aqueles que praticam uma dieta vegana minimizam o risco geral de doenças coronárias, obesidade e hipertensão. Para compensar a falta de carne, os veganos devem encontrar uma maneira de incorporar mais fontes de proteína e vitamina B-12 em suas dietas.

A dieta de South Beach
Esta dieta foi introduzida pela primeira vez em 2003 e baseia-se na premissa de mudar os hábitos alimentares gerais, equilibrando a dieta diária. Certos carboidratos são completamente evitados. Ele não elimina os carboidratos completamente, mas visa educar as pessoas que fazem dieta sobre quais carboidratos devem sempre evitar. Isso geralmente leva ao desenvolvimento de uma alimentação saudável, de modo que seja sustentável para o resto da vida das pessoas. A dieta inclui uma seleção de gorduras saudáveis, proteínas magras e bons carboidratos.

A Dieta Mediterrânea
Esse é outro tipo de dieta rica em vegetais que evita muita carne, mas não a elimina totalmente. Está comprovado que essa dieta ajuda no tratamento da depressão, além de controlar os níveis de açúcar no sangue e auxiliar na perda de peso. A dieta mediterrânea recomenda o uso de óleo tanto quanto possível e isso significa como alternativa à manteiga, molhos para salada ou marinadas. Ele também enfatiza a adição de vegetais a cada refeição e prefere o peixe ao frango. Grãos integrais, nozes e ervas também são usados em maiores quantidades.

Dieta de alimentos crus
Esta é uma dieta que valoriza a ingestão de alimentos crus e não processados. A dieta elimina a ingestão de qualquer alimento pasteurizado ou produzido com qualquer tipo de sintético ou aditivo. A dieta destina-se a criar um aumento de energia, uma diminuição da inflamação e, ao mesmo tempo, diminuir o número de carcinógenos na dieta.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here