Vazio de doer, dor de fazer dó em um velho peito vazio
Peito ou alma? Vazia, ou penada [arrependida] doída; sofrida
Arrependida de ter perdido o amor que se nunca teve a opção de ganhar
Penada talvez, porque apenada por uma dor muito vazia e doída
Peitos, dores, vazios, penas… desesperanças mornas [estremecidas]
Um estremecimento por vazios de amor e de saudades… escondidas
Escondidas dentro de um peito onde não se pode identificar [arrancar]
Sem identificação e sem saber o que, e de onde é que vem, só se pode chorar.
Vazio
Dor
Peito
Chorar…
Chorar?!?

Chorar é bom remédio para aplacar dores de gente sadia [d’alma]
Entretanto há que haver uma razão porque chorar e sempre há
O vazio não justifica o choro de uma alma vazia; não traz paz ou acalma
Até porque não se sabe porque sentir o dever saber ser chorar [amalgamar]
Amalgamar de um peito, alma e coração velhos, sós na multidão… esquentar
Não se esquenta não se amalgama porque não se sabe onde e com quem [se misturar]
É isto! Um, dois ou muitos mais peitos chorões e choronas procurando-se sem se achar
Que enigmática amalgamação é esta pela qual se chora e sofre dores [n’alma].
Berço dos sentimentos
Peito
Coração
Vazio
Solidão.

(*) Brasilino José da Silva é poeta em Rondonópolis.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here