A não abertura de 20 novos leitos de UTI Covid-19, que estão totalmente montados no Hospital Regional de Rondonópolis, vem causando, desde a última sexta-feira (9/4), embate entre Município e Estado. Vários vereadores foram até a unidade hospitalar, buscando respostas sobre o motivo do não funcionamento dos leitos, considerando a situação crítica da pandemia na cidade.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

Entre esta sexta-feira (9) e sábado (10), os vereadores se mantiveram de plantão no Hospital Regional cobrando a abertura dos 20 leitos, que estariam montados desde o último dia 4 de abril. “Na sexta-feira estive no Hospital Regional com o secretário de Saúde, Vinícius Amoroso.

A informação era que, para colocar as UTIs em funcionamento, dependeria apenas de dois aparelhos, sendo que, de prontidão, foram disponibilizados pela Prefeitura. Após isso, ficou em acordo que o serviço começaria a operar às 19 horas da sexta-feira e, por decisão da diretoria do Hospital Regional e Estado, não começou”, disse a vereadora Marildes Ferreira.

Por meio da assessoria de comunicação do Estado, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) esclareceu que é mentirosa a informação de que o Hospital Regional de Rondonópolis inauguraria leitos na sexta-feira (9).

Informou que a estrutura para a abertura dos 20 leitos realmente está pronta, contudo, a empresa que venceu o processo licitatório para administrar os leitos não atendeu aos requisitos técnicos previstos em edital de licitação.

O Estado informou ainda que o Hospital Regional não necessita da doação de equipamentos para o funcionamento dos leitos de UTI, pois os leitos estão completamente equipados, mas falta a apresentação de equipe por parte da empresa contratada, conforme as regras do edital.

Assim que a empresa cumprir com todas as exigências técnicas, os leitos serão imediatamente colocados em funcionamento para a população, segundo o governo estadual.

2 COMENTÁRIOS

  1. Mais uma vez nós vemos diante de um BURROCRACIA sem tamanho em nosso país, é o papel que tem que ser assinado pela pessoa que estava sentada na mesa da sala vizinha que saiu para tomar café que foi atropelada pelo carrinho da limpeza que não colocou placa de sinalização que teve dispensa arbitrária da pessoa que esta com o processo em tramite e nesse momento não pode ser feito nada!

    O paisinho mequetrefe de inteligência, exceto para roubar e burlar, nesse quesito sobre expertise.

  2. Eita política desgraçada que está desgraçando a vida de nossa gente. Gente morrendo por todos os cantos por falta de UTIs e por questões “burocráticas” não são autorizadas a funcionar. Ao que parece a burocracia é mais importante que a vida humana Põem para funcionar o mais rápido possível e a papelada se resolve depois.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here