Prefeito Zé do Pátio se reuniu ontem para ouvir representantes do comércio de vários segmentos – (Foto -Divulgação)

 

O prefeito Zé Carlos do Pátio (SD) irá decidir hoje (9/4) se mantém ou flexibiliza as medidas do decreto municipal que está em vigor, no enfrentamento à pandemia da Covid-19.

Ontem, o prefeito se reuniu para ouvir representantes do comércio de vários segmentos, os quais reivindicam flexibilização das medidas do decreto municipal com base no estadual.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

Segundo informado pela Prefeitura, o Comitê de Gestão de Crise se reúne hoje a partir das 7h30, para avaliar a possibilidade de flexibilização das medidas ou manutenção das medidas vigentes.

A informação é que qualquer decisão passará pela análise jurídica da Procuradoria-Geral do Município.

Comissão de Indústria e Comércio da Câmara Municipal protocolou um ofício na Prefeitura solicitando abertura de todo o comércio na cidade – (Foto -Divulgação)

Na tarde desta quinta-feira (8), as entidades representativas dos diversos setores da economia local ganharam um importante reforço no ofício em conjunto protocolado junto ao Poder Executivo na última terça-feira (6).

A Comissão de Comércio e Indústria da Câmara de Vereadores protocolou um novo documento, endossando o apelo das categorias em prol da reabertura do comércio e outras atividades.

O presidente da Comissão na Casa de Leis é o vereador Cido Silva. “Esta é uma luta justa e acreditamos que haverá sensibilidade por parte do nosso prefeito”, diz.

“Hoje, uma cesta básica somente não resolve os problemas nem salva esta categoria. É preciso permitir que essas pessoas trabalhem. Nossas empresas estão seguindo todos os protocolos para combater esse vírus e a Covid-19 não escolhe empresa a ou b. Não é justo este fechamento parcial”, completa.

Para o vice-presidente da CDL, Tiago Martins, o reforço da Câmara é também uma esperança a mais na luta de quem precisa trabalhar.

“Ganhamos muito com este apoio. Isso mostra que os Poderes, assim como toda a nossa sociedade, tem entendido o nosso apelo. Temos compromisso com a vida, estamos todos juntos nesta mesma luta. Mas, por outro lado, a realidade é que estamos diante de uma outra crise, a econômica, que está destruindo empregos e gerando abalos nas famílias do nosso município”, argumenta.

DECRETO

O novo decreto – de Nº 9.989, de 30 de março de 2021 – foi instituído levando em conta o Decreto Estadual n° 874, de 25 de março de 2021, que determina a quarentena coletiva obrigatória no território municipal por um período de 10 dias para as atividades não essenciais, podendo ser prorrogável, considerando a classificação de risco muito alto de Rondonópolis e outros municípios para o contágio do novo coronavírus.

O Município também instituiu nesse período a lei seca e o toque de recolher.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here