Segundo o dicionário Aurélio (2003) brincar é “[…] divertir-se, recrear-se, distrair-se, folgar, entreter-se em jogos infantis”, Kishimoto (2002) ressalta que o brincar é um espaço explorável, onde a criança ao brincar ela corre, pula, conversa, anda, recria, imagina, explora e aprende.

As brincadeiras deverão estar vinculadas aos objetivos pedagógicos do professor para que possa traçar metas para as atividades vivenciadas em sala de aula, garantido uma aprendizagem prazerosa e que desenvolva nas crianças a busca da cidadania, do trabalho coletivo e possa, também, desenvolvê-la de forma integral, considerando os aspectos: afetivos, cognitivos e motores.

Assim, podemos dizer que a brincadeira na Educação Infantil é considerada uma atividade essencial para o desenvolvimento da criança em diferentes faixas etárias, pois a criança passa a conhecer o mundo, estabelece regras de convivência, aprende a lidar com situações agradáveis e desagradáveis ocorridas das próprias brincadeiras.

É necessário conscientizar os professores da Educação Infantil, sobre a ludicidade que deve ser vivenciada na infância, ou seja, de que o brincar faz parte de uma aprendizagem, em que as brincadeiras que serão desenvolvidas, em sala de aula, terão que ser vivenciadas a partir da consideração de um planejamento intencional e com objetivos claros.

O brincar é fundamental para esse desenvolvimento, não basta apenas só brincar é necessário que haja qualidade e intencionalidade nas brincadeiras, É importante entendermos que a utilização da brincadeira na Educação Infantil se torna uma forte aliada do professo/a e é uma metodologia que se torna relevante.

Podemos recorrer ao RCNEI (1998) quando vem ressaltado a seriedade em dispor um tempo para as atividades lúdicas pois as brincadeiras de faz-de-conta, os jogos de construção e aqueles que possuem regras, como os jogos de sociedade (também chamados de jogos de tabuleiro), jogos tradicionais, didáticos, corporais etc., propiciam a ampliação dos conhecimentos infantis por meio da atividade lúdica. (BRASIL, 1998, p. 28. v. 3).

Assim, a brincadeira é algo que está presente na Educação Infantil, que através delas as crianças aprendem enquanto brincam e isso faz com que as brincadeiras infantis se tornem presentes nos ambientes escolares, sendo um elemento indispensável para o desenvolvimento integral do ser humano, considerando os fatores físicos, sociais, culturais, emocionais, afetivos e cognitivos.

(*) Fabiana Alves de Andrade, Marlene Almeida Leite e Noemi Denardin Ferreira são professoras da Secretaria Municipal de Educação.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here