Partindo do pressuposto de que homem e mulher são criaturas divinamente aprovadas do querer do seu Criador, porque: “Deus viu tudo o que havia feito, e tudo era muito bom” Gênesis 1, 31 “Deus criou o homem à sua imagem; a imagem de Deus ele o criou; e os criou homem e mulher” Gênesis 1, 27.

O dia 08 de março datado em 1977 foi oficialmente reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Dia Internacional das Mulheres marcando aí vários movimentos e acontecimentos que antecederam essa data em que visavam o reconhecimento da mulher como um ser de dignidade em sua plenitude, dotada de inteligência, habilidades que ultrapassam os manejos domésticos e maternos, como um ser livre e capaz de fazer suas próprias escolhas.

A data não requer supervalorizar a mulher em detrimento do homem, reconhecemos que ambos são seres divinos com complexidades diferentes, mas que em nada os põe em posição de inferioridade.

Passado se 44 anos desde a sua oficialização o movimento tem alcançado muitas vitórias a custo de muito sofrimentos e perdas irreparáveis de vidas humanas e em especial de mulheres, porque ainda vivemos em uma cultura estigmatizada pela arrogância de prevalências entre os gêneros.

A comemoração do Dia Internacional da Mulher, assim como de outras datas tem se desviado de seu sentido original para dar espaço ao superficial em que nada faz refletir sobre o real sentido em que se quer alcançar.

Segundo a professora Maria Célia Orlato Selem, Mestre em Estudos Feministas pela universidade de Brasília: “o 8 de março deve ser visto como momento de mobilização para a conquista de direitos e para discutir as discriminações e violências morais, físicas e sexuais ainda sofridas pelas mulheres, impedindo que retrocessos ameacem o que já foi alcançado em diversos países”.

Ao se perguntar no dia 08 de março, qual presente, qual homenagem quero dar a mulher, seja ela mãe, filha, esposa, profissional, amiga… Deveríamos antes pensar em como eu estou contribuindo para que as mulheres sejam respeitadas e valorizadas em sua essência. Como meus pensamentos e comportamentos tem afetado de forma a acorrer para o fim da exterminação da MULHER.

Em nome de todas as mulheres que não se conformaram com a situação conflitante em que fomos expostas e dos homens que se uniram a nós para formarmos uma corrente onde os direitos das mulheres fossem exercidos, eu parabenizo a cada SER que espalhados internacionalmente não medem esforços para criarmos uma cultura mais humanizada.

A data faz menção as mulheres, mas o dia deve ser feliz a todos aqueles que decidem por viver, então Feliz dia das Mulheres!

 

(*) Elaine de Moraes Ferreira é Bacharel em Psicologia, secretária Executiva para o 15º Eclesial das CEBs.

Referências

https://novaescola.org.br/conteudo/301/por-que-8-de-marco-e-o-dia-internacional-da-mulher#

As origens e a comemoração do Dia Internacional das Mulheres. Ana Isabel Álvarez Gonzalez, 208 págs., Ed. SOF/Expressão Popular.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here