(Foto: PMMT)

 

Uma mulher de 25 anos foi sequestrada, mantida por dois dias em cárcere privado, estuprada, roubada e agredida pelo vizinho com a ajuda de outros dois homens na Vila Birigui em Rondonópolis.

A vítima, que conseguiu fugir de sua residência onde era mantida presa na sexta-feira (5), procurou a polícia e conseguiu identificar um dos suspeitos, que foi preso no mesmo dia pela polícia.

De acordo com informações da Polícia Militar, a mulher relatou que foi abordada por um dos criminosos quando saía da sua residência, às 8 horas da última quinta-feira (4) para ir ao trabalho em um frigorífico da cidade.

Quando abriria o portão, um homem não identificado, que estava dentro do residencial onde ela mora, teria a obrigado a entrar em casa e logo foi seguido por outro homem.

Após o sequestro, os dois homens a teriam prendido dentro da própria residência por quase dois dias, de onde ela conseguiu fugir somente às 19h da sexta-feira (5).

Ela contou à polícia que enquanto esteve mantida em cárcere privado foi amarrada, vendada, teve os cabelos cortados pelos criminosos e foi estuprada por diversas vezes.

Os criminosos também teriam roubado o cartão bancário dela, obrigado a informar suas senhas, além de permitir que acessassem seu e-mail e celular.

Ela teria ainda sido obrigada a manter contato com familiares e colegas de trabalho para dizer que não estava saindo de casa por estar com dor de cabeça e mal estar. Os homens, ainda de acordo com a jovem, passavam informações bancárias dela para outra pessoa fora da casa para que esta pudesse efetuar os roubos.

Desconfiando da situação, a irmã da vítima foi até sua casa na sexta-feira (5) para verificar o que estava acontecendo. Quando a irmã bateu em sua porta, a jovem contou que foi obrigada pelos criminosos a dizer que a irmã deveria voltar outro dia, mas ela insistiu em entrar na casa.

Neste momento os homens teriam percebido que a irmã, que estava acompanhada do filho de 6 anos, não iria embora, e por isso permitiram que a vítima abrisse a porta. Ela então aproveitou a oportunidade e fugiu correndo do local junto com a irmã e o sobrinho.

Depois de conseguir fugir, ela procurou a polícia. Em depoimento, a vítima relatou que reconheceu um dos criminosos, que seria seu vizinho. Segundo ela, apesar de o homem permanecer de capuz o tempo todo em que estava em sua casa, foi possível identificá-los pelos pés e pela voz.

O vizinho já teria a assediado anteriormente, oferendo emprego em troca de sexo.

A polícia então localizou o vizinho, apontado como um dos autores do crime, na própria residência. Ele foi preso e levado para a delegacia e o local do crime foi isolado para o trabalho da Polícia Judiciária Civil, que irá investigar o crime.

A jovem precisou ser encaminhada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o hospital para receber atendimento médico.

 

1 COMENTÁRIO

  1. Falta no Brasil prisão perpétua e pena de morte, inclusive castração. Não temos pressão popular por direitos. É preciso sair à ruas exigir mudança nas leis. Pressão e mais pressão.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here