Uma paciente acabou morrendo ontem (3) na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na espera por uma vaga em UTI – (Foto: Arquivo)

 

Com a indisponibilidade de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs) em Rondonópolis e demais cidades da regional de saúde, como Primavera do Leste e Campo Verde, teve início o drama de muitos pacientes que aguardam na fila de espera por uma vaga.

Anteontem (2), o número de pacientes que esperava por uma vaga na Central de Regulação de Rondonópolis chegou a 14.

Os pacientes acabaram transferidos, mas a espera foi demais para uma paciente que acabou morrendo ontem (3) na Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

A mulher, de 54 anos, moradora de Rondonópolis, não pode ser transferida quando a vaga foi encontrada em função da gravidade do caso e acabou falecendo.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

As filas, de acordo com dados da Central de Regulação, tiveram início ainda no último dia 25, e vêm ocorrendo diariamente desde então. Como não há vagas em nenhum hospital da regional de saúde, os pacientes precisam ser regulados para unidades em outras cidades do estado de Mato Grosso que ainda estão com disponibilidade de leitos.

A identificação dos leitos vagos e aprovação da transferência dos pacientes é então feita pela Central de Regulação do Estado.

Entre os dias 25 de fevereiro e 3 de março, 47 pacientes tiveram que aguardar na fila por um leito de UTI. Conforme dados da Central de Regulação, no dia 25, 4 pacientes precisaram ser transferidos (2 de Primavera do Leste, 1 de Campo Verde e 1 de Rondonópolis).

Em 26 de fevereiro, foram mais 5 pacientes que passaram por essa situação (2 de Primavera do Leste; 2 de Rondonópolis; 1 de Campo Verde). Já, no dia 27, 4 pacientes precisaram aguardar uma vaga (2 de Jaciara e 2 de Campo Verde).

A situação se manteve nos dias seguintes: 5 pacientes tiveram que ser transferidos no dia 28 (3 de Campo Verde; 1 de Primavera do Leste; e 1 de Jaciara); no dia 1º a quantidade de pacientes que precisavam de um leito de UTI e tiveram que ser deslocados passou para 8 (3 de Primavera do Leste; 3 do Hospital Regional; 1 de Jaciara; e, 1 de Rondonópolis); anteontem (2), a cidade teve 14 pacientes nesta condição (6 de Primavera do Leste; 4 de Rondonópolis; 2 do Hospital Regional [outros municípios não especificados]; 1 de Jaciara; 1 de Campo Verde). Ontem (3), eram 7 (2 de Primavera do Leste; 2 de Rondonópolis; 1 de Jaciara; 1 da Campo Verde; 1 do Hospital Regional).

O boletim epidemiológico da covid-19 divulgado ontem (3) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) aponta que a taxa de ocupação dos leitos de UTIs públicas em Mato Grosso atingiu 87,42%. De um total de 481 leitos, 417 estavam ocupados e 4 bloqueados, restando no estado apenas 60 vagas disponíveis.

A situação mais crítica foi verificada ontem no Hospital Regional de Rondonópolis, que estava com taxa de ocupação de 150%.

O hospital tinha 15 pacientes internados na UTI, 10 ocupando leitos da UTI exclusiva covid-19 e outros 5 ocupando vaga na UTI geral. Na Santa Casa de Misericórdia, a situação não era muito diferente, com 110% de taxa de ocupação. Eram 22 pacientes internados na UTI, 20 em vagas da UTI covid-19 e mais 2 na UTI geral.

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here