Feito mola de aço
Meu peito recebia a pressão
Faltava espaço.

O sangue parecia borbulhar
Causava nódulos nas veias
Interditava respirar.

A frequência cardíaca em alta
Brigava pela vida
Alguma resistência lhe falta
Amor, casa ou comida?

A fome era tão potente
Que desbarrancava a visão
Daquelas que trinca os dentes
Mas sobra julgamentos, falta compaixão.

(*) Francisco Assis Silva é poeta e militar. Email: [email protected]

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here