Wellington Fagundes: “Comentou que as próximas eleições são as da reeleição de Mauro Mendes, mas não ficou claro que está fora do páreo…”
Foto: Jane de Araújo/Agência Senado

1 – SENHORES E SENHORAS,

conforme foi publicado pelo A TRIBUNA, o governador Mauro Mendes assinou, na última sexta-feira (19/02), as ordens de serviços para o início de obras de pavimentação em uma extensão de 775 quilômetros e a construção de 40 pontes de concreto em todas as regiões de Mato Grosso. As obras terão início, ou reinício (no caso daquelas paralisadas em razão do período chuvoso) ainda neste mês.

Mas quem conhece de serviço público bem sabe como funciona. Mas os investimentos aplicados serão de R$ 606 milhões e beneficiarão diretamente 56 municípios. As obras e projetos que atendem 62 municípios fazem parte do programa Mais MT, considerado o maior programa de investimentos da história de Mato Grosso.

Pelo menos estão dizendo. Somente nas ações de infraestrutura estão previstos investimentos totais de R$ 4,73 bilhões em quatro anos (2019-2022). Agora pelo que o Colunista vem acompanhando, tal feito do governador está sendo visto nos meios políticos como um grande trunfo para o projeto de reeleição de Mauro Mendes (Dem).

E o Colunista não tira a razão desta análise, pois o pacote de obras está previsto para quase todos os municípios, inclusive em Rondonópolis com as avenidas W 11 e W 14, no bairro Sagrado Família até a ligação com a BR 364, através da nova ponte no Rio Vermelho.

Logo sabemos que um projeto para disputar o governo estadual, o candidato deverá estar bem avaliado em todo o Estado e nada melhor do que lançar obras que serão bem vistas pela população.

E O PREFEITO

José Carlos do Pátio (SD) esteve na cerimônia, inclusive tirou foto ao lado do governador Mauro Mendes. Agora resta saber se no transcorrer do tempo, com a chegada da campanha política, como ficará Zé do Pátio, ele que tem o nome comentado para disputar as eleições de governo como adversário à reeleição de Mauro Mendes.

Mas o importante é que Rondonópolis poderá realizar um sonho, em especial dos moradores do Sagrada Família, e ter a W 11 pavimentada, eliminando um velho problema de drenagem na região.

SABEMOS

que o governador quer mostrar serviço, mas para fins de ganhos políticos, ele terá que visitar mais os municípios, pois o povo gosta de obras, mas muito mesmo do corpo a corpo, da presença do político e do “tapinha nas costas”, infelizmente é assim e neste quesito Mauro Mendes ainda tem a desculpa da pandemia e a necessidade do distanciamento social, mas tão logo todos serem vacinados, acreditamos que Mauro Mendes tem que se aproximar mais das cidades e suas comunidades.

A exemplo, aqui mesmo em Rondonópolis onde visitou poucas vezes após ser eleito com grande votação, apesar do município ter o seu candidato próprio na pessoa do senador Wellington Fagundes, que acabou sendo derrotado e ficando em segundo lugar, ainda no primeiro turno. Não se pode esquecer que o então governador Pedro Taques, disputando a reeleição, amargou um vexatório terceiro lugar. Te cuida, Mauro Mendes!

2- NÃO EXISTE ESTA

do “já ganhou” na política, mas o senador Wellington Fagundes (PL) comentou com o Colunista que as próximas eleições é da reeleição de Mauro Mendes. Como o próprio senador disse:

“Disputei a eleição a governador, numa condição em que tive a oportunidade, sendo que fui o segundo mais bem votado, disputando com Mauro Mendes que ganhou em 2018. Mas esta próxima campanha, penso que será mais de uma candidatura à reeleição”, frisou.

Wellington Fagundes que esteve na quarta-feira passada (17), para receber uma homenagem pelos 30 anos de mandatos consecutivos, foi convidado pelo vereador Adonias Fernandes (MDB) para se filiar na sigla emedebista.

“Fico feliz de ser convidado por um grande partido que é o MDB, onde sempre tive boas relações e ainda é importante dizer que ainda teremos neste ano alguma reforma política partidária, mas todas as minhas eleições foram pelo PL, com o número 22, que é bastante conhecido, mas temos que conversar com todos os partidos e buscar o melhor caminho para melhorar a qualidade de vida da população”.

Para o Colunista, esta última fala demonstra que “onde há fumaça, há fogo”. Talvez tal convite ao senador seja com a intenção de alavancar algum projeto estadual dos emedebistas, que talvez seja a disputa pelo governo estadual, e logo sabemos que o nome de peso para entrar nesta disputa é da deputada Janaína Riva (MDB), nora de Wellington Fagundes e de quem o vereador Adonias é representante aqui na região. Será o que está por vir para as eleições do próximo ano?

 José Medeiros: “Em busca de apoio de Bolsonaro para uma candidatura a governador, é mais um na fila do pão…”

2 – PARECE QUE O

deputado federal José Medeiros (Pode), vem com mais umas de suas tentativas de alavancar um projeto político em Mato Grosso, com o apoio do presidente Jair Bolsonaro.

A notícia é que ele está montando um plano para concorrer a governador, numa linha dura de oposição à gestão Mauro Mendes, mas que ainda nega publicamente.

Aqui é de lembrar que na eleição suplementar para o Senado em Mato Grosso, Medeiros, que achava que seria o preferido de Bolsonaro, “ficou chupando do dedo”, pois o presidente apoiou a Coronel Fernanda, pessoa que nunca havia disputado cargo eletivo e que acabou se saindo muito mal, ao contrário de Medeiros, que foi o mais votado em Rondonópolis e teve uma boa votação no Estado.

Em nossa avaliação, a eleição suplementar que ocorreu somente em Mato Grosso, foi fato mais brando para se declarar um apoio. Agora imagina no ano que vem, quando o presidente estará concorrendo à reeleição?

Certamente pelo Brasil afora muita gente está desejando o apoio do Bolsonaro, mas não vai conseguir, até porque são centenas de candidatos e se tornaria humanamente e democraticamente impossível o presidente se dedicar a apoios.

PARA A COLUNA,

quem fala que tem o apoio de Bolsonaro é puramente utopia, sendo Medeiros “mais um na fila do pão”.

Além de tudo isso, até as eleições do ano que vem, não saberemos a popularidade que o presidente estará. E se ele estiver ruim? Será mesmo que muita gente irá querer o seus apoio?.

Na verdade, a situação do presidente Bolsonaro vai depender da vacinação em massa no país contra a pandemia do coronavírus, e de como estará a nossa economia frente a essa tremenda crise, e ai depende das ações econômicas do ministro Paulo Guedes, o guru de Bolsonaro na área.

Hoje é fato que Medeiros tem incomodado os grandes pelo estilo “brigador”. Nas urnas saiu bem nas últimas eleições que disputou sem o apoio do presidente, e antes tinha sido o segundo mais votado à Câmara Federal em 2018.

Neste sentido, acreditamos que o melhor é Medeiros mostrar serviços em seu Estado e, principalmente, na base que o elegeu, aqui na Região sul de Mato Grosso, onde não tem dado tanto as caras.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here