O atual cenário de isolamento social para conter a proliferação do covid-19, uma doença infecciosa causada pelo vírus (SARS-CoV-2), popularmente conhecido como coronavirus, alterou de forma significativa a vida de toda sociedade e impactou os mais diferentes campos (econômico, educacional, religioso, etc.). E em referência a esses impactos causados pela pandemia, toda sociedade se viu obrigada a modificar seus hábitos cotidianos, de tal maneira que nos levou a reconsiderar a forma que vivemos e convivemos coletivamente. Ou seja, os reflexos da pandemia atingiram a todos (as) de tal forma que as mudanças se tornaram algo necessário e primordial para se conseguir viver e sobreviver em meio ao cenário pandêmico no qual nos encontramos.

Desde então, as instituições de educação tiveram que se adequar e reconsiderar a maneira da qual seria mais viável na oferta do ensino a sua clientela escolar. Assim, tiveram que se adaptarem ao novo real, de tal forma a desenvolver um verdadeiro malabarismo, para atender ou pelo menos tentar atender as demandas pedagógicas, sociais e individuais. E partindo do impedimento do ensino presencial, o ensino remoto surge como um caminho alternativo e emergencial, que acabou por tornar algo estendido por um longo período, no intuito de diminuir os transtornos desfavoráveis ao processo de ensino aprendizagem.

Diante isto, podemos dizer que a pandemia trouxe mudanças significativas tanto para os professores quanto discentes, já que o professor também possui inúmeras dificuldades em lidar com as aulas remotas, como os discentes. Então como preparar uma aula mais dialogada e interativa, se essa transição das aulas presenciais para as aulas remotas, ainda é uma novidade pra quem estava acostumado realizá-las presencialmente. Isso demonstra que ao mesmo tempo que o ensino remoto contribui, ele também traz consequências negativas, principalmente no que se diz respeito a formação continuada do professor pesquisador.

Neste iniciar de ano, muitas angústias voltam a assombrarem os professores, e neste sentido, buscamos fazer o melhor com o que temos e podemos oferecer para as nossas crianças. O iniciar de 2021 será novamente atípico, enquanto aguardamos a vacinação, e assim, vale ressaltar que professores juntamente com as famílias precisarão estar em conexão. Então, apresentamos neste artigo um pedido, nós professores estamos fazendo o possível, trabalhamos, planejamos, pesquisamos maneiras de interação que cative e incentive as crianças, mas precisamos de vocês pais/ responsáveis. Com isso, aguardaremos tudo isso passar.

 

(*) Jucelma Lima Pereira Fernandes e Jéssica Lorrayne Ananias da Silva são Professoras da Rede Municipal de Rondonópolis.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here