Com o início das atividades educacionais no ano de 2021 é de suma importância refletimos sobre o ensino remoto, de que forma planejada podemos tirar mais vantagens dessa nova ferramenta, e formar pessoas mais autônomas, que seja protagonista de sua própria aprendizagem?

Quando falamos do protagonista do aluno, isso não significa que o professor será excluído da sala de aula, ou a partir do momento em que o aluno passa a se defender e buscar a construção mais ativamente, pelo que se sabe o professor não perderá seu espaço, torna-se uma relação de troca, em que o professor vai mediar o processo de aprendizagem.

Como o aluno se torna protagonista de sua própria aprendizagem, se sente parte do processo, interage e compartilha com mais facilidade suas experiências e vivências, favorecendo sua capacidade criativa, o que motiva o aluno a desenvolver a inteligência multifocal, ficando mais disposto a aprender e a busca de mais informações e conhecimentos que torne sua formação mais sólida, essa é a essência do protagonismo na educação. E com certeza, é cada vez mais função da escola formar pessoas autônomas, que sejam mais proativas. Quando o ambiente escolar não é favorável, os alunos perdem a curiosidade natural, tornando-se engessados e desinteressados.

Por isso é de suma importância desenvolver um trabalho que dê voz a todos os envolvidos no processo de aprendizagem, valorizando cada um em sua particularidade. Quando o professor incentiva o protagonismo do aluno, seu papel passa a ser de mediador entre o conhecimento e o aluno, possibilitando a ele assumir uma postura participativa no processo de aprendizagem, adquirindo mais confiança, autonomia e responsabilidade ao lidar com desafios de maneira ativa.

Constantemente estamos enfrentando várias transformações tecnológicas, sociais e educacionais nos últimos tempos. Observa-se também a facilidade que os alunos possuem em se conectar e ter acesso a várias informações. Diante das aulas remotas é interessante o professor aplicar metodologias ativas de ensino, que favorece o protagonismo do aluno, o levando a ser mais responsável e consciente, usando os avanços tecnológicos na busca pelo conhecimento. Com isso, o professor passa a ser um orientador e facilitador no processo da aprendizagem, e não apenas o que transmite conteúdos soltos e desconectados da realidade do aluno.

 

(*) Aldeny Alves de Oliveira, Rosilene Alves Lima e Suellen Dayane Ribeiro são docentes da rede municipal de Rondonópolis.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here