Autarquia municipal deve ser criada após conclusão do estudo técnico da UFR – (Foto: Arquivo)

 

Antes do mês de março não deve haver mudanças no transporte coletivo em Rondonópolis. Isso porque a Prefeitura contratou a Universidade Federal de Rondonópolis (UFR) para realizar o estudo técnico que servirá como base para a implantação da autarquia municipal de transporte público e a previsão é que a conclusão ocorra no final de fevereiro.

Até este mês 30% do estudo estava finalizado. Enquanto a autarquia não for devidamente criada, a concessionária Cidade de Pedra deve seguir atuando no transporte coletivo da cidade.

Além da criação oficial da autarquia, o Município precisa adquirir os ônibus necessários para colocar em funcionamento o transporte coletivo municipalizado. Segundo a Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito (Setrat), até o momento foi concluída a compra de 25 ônibus pela Prefeitura.

A previsão é adquirir mais 25, totalizando 50 veículos. A compra foi feita após licitação realizada em novembro do ano passado, quando foi feito um pregão eletrônico para registro de preços para futura aquisição de 50 veículos (ônibus).

A empresa vencedora do pregão eletrônico foi a Enzo Caminhões Ltda, que apresentou o menor preço unitário dos veículos. Inicialmente o valor total previsto para a aquisição desses veículos era de R$ 27,9 milhões e, com o término da licitação, o valor ficou estipulado em R$ 22,6 milhões.

A Prefeitura também já havia obtido a autorização da Câmara Municipal para realizar um empréstimo bancário para promover a compra dos veículos para compor a autarquia municipal, que deve ser criada após conclusão do estudo técnico da UFR.

A alternativa adotada pela Prefeitura para garantir a continuidade do transporte coletivo na cidade, que é considerado um serviço essencial à população, foi prorrogar o contrato, de forma emergencial, com a empresa Cidade de Pedra, com validade até 30 de junho deste ano.

O decreto que estabeleceu situação de emergência no transporte público do Município foi publicado no Diário Oficial do Município no dia 30 de dezembro de 2019. Conforme o documento, foi decretada a situação de emergência no sistema de transporte coletivo, entre 31 de dezembro de 2020 a 30 de junho de 2021, período então em que a empresa Cidade de Pedra fica autorizada a prestar o serviço em Rondonópolis, como já vem fazendo.

A decisão da Prefeitura em criar uma autarquia municipal para gerir o sistema de transporte coletivo foi tomada após sucessivas licitações desertas para conceder o serviço à iniciativa privada. Ainda na gestão do ex-prefeito Percival Muniz, duas licitações fracassaram sem empresas interessadas. Outras três licitações foram feitas então pelo prefeito José Carlos do Pátio e também ficaram desertas, sem nenhuma empresa interessada em operar o serviço.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here