André Bentes, candidato a vice, e Adilson de Moraes, candidato a presidente da Assuroo pela chapa 1 (Foto: Deivid Rodrigues/A TRIBUNA)

 

A Associação de Surdos de Rondonópolis (Assuroo) realiza no próximo sábado, dia 19 de dezembro, das 13h às 17h, no Centro de Núcleos, antigo Centro de Reabilitação Nilmo Júnior, a eleição da sua nova diretoria para uma gestão de três anos.

A Chapa 1 é encabeçada por Adilson de Moraes, cujo vice é Márcio André Braga Bentes, mais conhecido como André Bentes. Já a chapa 2 é encabeçada pelo atual presidente da associação, Sérgio Gonçalves, cuja vice é Jéssica Karolline Camargo.

“O objetivo é fazer com que a comunidade surda evolua, trazer novas ideias. A importância principal é trazer a acessibilidade e a inclusão dos surdos”, afirmou André Bentes, que é membro voluntário da Assuroo.

 

Estão aptas a votar cerca de 400 pessoas, entre membros da entidade, familiares dos surdos, intérpretes de Libras (Língua Brasileira de Sinais) e simpatizantes da comunidade surda. O resultado da eleição sairá no mesmo dia e a nova gestão começará a partir de 1º de janeiro de 2021.

Além de Rondonópolis, fazem parte da Assuroo os municípios de Jaciara, Pedra Preta, Guiratinga e Primavera do Leste.

O Centro de Núcleos está situado na Avenida Tiradentes, 1904, no Centro de Rondonópolis.

 

Propostas

Em visita à redação do A TRIBUNA, Adilson de Moraes e André Bentes repassaram as principais propostas da Chapa 1. Um dos planos é procurar investir nas escolas bilíngues de Português e Libras para as crianças surdas.

“Nosso sonho é que tenhamos nosso lugar próprio”, disse Adilson de Moraes, que teve a sua fala traduzida em Libras por André Bentes.

Eles disseram que o prefeito José Carlos do Pátio (SD) já doou a área para a futura sede, localizada no Bairro Parque Universitário.

Conforme os integrantes da Chapa 1, o objetivo é a construção da sede porque hoje o forte da associação é o futsal de surdos. Haveria um ginásio nesse espaço, uma vez que o time da Assuroo participa de competições pela região.

A sede contaria também com salas de aula para ensino bilíngue e cursos de Libras para a sociedade em geral.

“Nosso outro objetivo é chamar mais surdos para a associação para dar melhor qualidade de vida a eles. Têm famílias que escondem os surdos, principalmente as crianças, e muitas não sabem dos direitos que possuem”, destacou Adilson de Moraes.

 

Outra ideia é fazer com que a criança surda cresça e saiba o Português e a Libras. Além disso, a Chapa 1 ainda pretende investir na qualificação do surdo para que ele não dependa apenas do seu próprio benefício que recebe.

Sérgio Gonçalves, que encabeça a Chapa 2 para a presidência da Assuroo, não pôde comparecer à redação do A TRIBUNA por questões de saúde.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here