(Foto: Arquivo)

 

Dos atuais 21 vereadores desta legislatura, 17 concorreram à reeleição de vereador, três se “aposentaram” da vereança, sendo Hélio Pichioni (PSD), Rodrigo da Zaeli (PSDB) e Jailton Dantas (PSDB). Já Thiago Muniz (DEM), deixou a vereança para concorrer ao cargo de prefeito e não teve sucesso.

Dos 17 que concorreram à reeleição, oito foram reeleitos, sendo eles: Adonias Fernandes (MDB), Cláudio da Farmácia (MDB), Batista da Coder (SD), Reginaldo Santos (SD), Roni Cardoso (PSD), Roni Magnani (SD), Subtenente Guinancio (PSDB) e Beto do Amendoim (PTB).

Treze dos 21 desta legislatura não vão retornar à Câmara Municipal, destes a reportagem do A TRIBUNA ouviu oito deles sobre o seu futuro político (veja abaixo), onde a maioria relatou que ainda é incerto, com exceção de Rodrigo da Zaeli que não descarta a possibilidade de se candidatar a deputado estadual em 2022.

 

Sílvio Negri (PSD)

“A princípio, já retomei as aulas como professor do curso de Geografia da Universidade Federal de Rondonópolis (UFR).

Nos próximos meses, ainda vou decidir o meu futuro político, avaliando até mesmo a condição de continuar ou não militando em partido político.

Esta última eleição foi uma disputa atípica das demais, devido ao período da pandemia da Covid-19, o grande número de candidatos e as novas regras eleitorais”.

 

João Mototáxi (PTB)

“Hoje, as pessoas próximas a mim estão me incentivando a entrar na disputa na próxima eleição. Porém, no momento, penso em deixar a política, pois fui muito ignorado neste pleito pela condição de ser mototáxi e de bairro de periferia.

No entanto, o meu papel de vereador sempre cumpri, tanto é que tenho trabalho prestado com quase cem projetos aprovados, 68 requerimentos e mais de mil indicações. Nunca faltei uma sessão e nunca fui embora mais cedo.

O meu papel de vereador eu cumpri e fui produtivo, mas muitas pessoas não entenderam isso e fui injustiçado por ser uma pessoa humilde”.

 

Professor Sidinei Fernandes (PDT)

“Vou continuar militando no PDT, partido ao qual disputei duas eleições, sendo uma vitoriosa. Por enquanto, vou manter o compromisso com o partido e trabalhar para o seu fortalecimento.

Esta eleição foi atípica e estranha. Ainda preciso avaliar se retornarei para alguma disputa. Mas, o nosso trabalho de agora para frente é de agregar mais pessoas para o nosso grupo”.

 

Orestes Miráglia (SD)

“Continuo na minha atividade de jornalista e radialista. No entanto, a minha intenção é dar uma pausa na área da comunicação para me dedicar à advocacia, pois sou advogado cível e criminal. Perdi uma batalha e não a guerra.

Deixarei o Poder Legislativo com a sensação do dever cumprido, uma vez que não fiz nada que me desabonasse. Quero ainda agradecer a todos aqueles que confiaram nas nossas propostas.

Sou soldado do partido e estarei pronto para atender o prefeito no que for necessário na área da comunicação”.

 

Vilmar Pimentel (SD)

“Ainda não decidi qual será o meu futuro político. Neste momento, não consigo dizer se serei candidato novamente ou não, pois estou avaliando como foi o pleito. Mas uma vez político, sempre político.

Vou esperar a gestão do prefeito e acredito que a partir de janeiro terei uma posição sobre isso. Tenho por mim, que no meu mandato, eu servi o povo de Rondonópolis, mas o resultado das urnas foi este e só tenho a agradecer a toda a população”.

 

Jailton Dantas (PSDB)

“Agora fora das disputas eleitorais, o meu sonho é fazer parte do Observatório Social de Rondonópolis. Mas, para isso, dependo que eles [Observatório] me acolham. O Observatório hoje tem voz muito mais forte que um vereador.

Para mim, no papel de fiscalizar a entidade está tendo mais êxito que o vereador na cobrança do que é correto para a nossa sociedade. Apesar disso, vou continuar o meu trabalho voluntário em defesa da nossa cidade”.

 

Rodrigo da Zaeli (PSDB)

“Nos próximos dois anos tenho que dar uma maior atenção à minha empresa. Porém, a minha intenção é sair candidato a deputado estadual em 2022.

No entanto, para isso, teremos que fortalecer o PSDB para que tenhamos uma boa musculatura para disputar as eleições com sucesso”.

 

Hélio Pichioni (PSD)

“Não quero mais ser candidato, mas vou acompanhar e torcer pelos amigos que, num futuro, venha a disputar alguma eleição. Aos novos eleitos e reeleitos vereadores, eu torço para que façam uma boa gestão em prol ao desenvolvimento de Rondonópolis, em especial uma atenção à saúde.

Gostaria que o prefeito ouvisse mais a Santa Casa com o diálogo mais aberto, pois é um hospital que atende 80% da rede SUS. Já fui vereador por 20 anos e mais oito anos como secretário de Saúde. Agora deixo a política com o sentimento do dever cumprido”.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here