Durante esse primeiro ano de gestão do espaço do Marinho Franco, a empresa garante que elevou a eficiência operacional do aeroporto e realizou uma série de melhorias – (Foto: Arquivo)

 

Apesar das críticas dos usuários, a Centro-Oeste Airports (COA), concessionária responsável pela administração do Aeroporto Maestro Marinho Franco, em Rondonópolis, respondeu ao Jornal A TRIBUNA que, durante esse primeiro ano de gestão do espaço, a companhia elevou a eficiência operacional do aeroporto e realizou uma série de melhorias.

Na área de infraestrutura, a Centro-Oeste Airports repassou que realizou serviços como a pintura de todo o terminal de passageiros; troca de todo o cabeamento do balizamento (aproximadamente 3.800 metros); nova sinalização do terminal de passageiros (em dois idiomas); aquisição de toda a infraestrutura do portão de acesso aos veículos do aeroporto; e revitalização de todo o piso do aeroporto.

Também diz ter feito a construção de uma sala de credenciamento para a comunidade aeroportuária; a construção de uma área para o suporte dos colaboradores e prestadores de serviços; investimento em segurança com a aquisição de novo pórtico detector de metais e DMM; aferição de equipamentos de meteorologia (EMS); instalação de TV com sistema de informação do voo ao passageiro; instalação de sistema de áudio; instalação de circuito de câmera de segurança; e troca de transformadores do balizamento.

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

Na área de sustentabilidade, a empresa informou ter efetivado a troca de todas as lâmpadas do terminal de passageiros por LED; desenvolvimento de programa de coleta de resíduos recicláveis; aquisição de novas lixeiras; e melhoria de todos os acessórios dos banheiros.

Na área de serviços e conforto ao usuário, as transformações apontadas pela companhia foram a manutenção em todos os ares-condicionados do terminal de passageiros; aquisição de duas máquinas com snacks e bebidas; reforma dos banheiros, incluindo a instalação de exaustores e fraldários; construção de um fraldário na sala de embarque; e incremento do conforto dos assentos.

Além disso, a Centro-Oeste Airports enfatizou que, mesmo com a pandemia, o único período em que o aeroporto registrou queda no número de voos foi entre março e junho, quando os voos regulares ficaram suspensos.

“Após isso, o Aeroporto de Rondonópolis registrou aumento no número de voos e ainda contou com o retorno da rota com destino a Campinas e o início das operações da Voepass, com destino a Brasília [agora suspenso]”, garantiu.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here