O presidente do STIMMMERR, Gilmar Amarantes Oliveira, demonstra indignação com postura do sindicato patronal – (Foto: Deivid Rodrigues/A TRIBUNA)

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Rondonópolis e Região Sul de Mato Grosso (STIMMMERR), Gilmar Amarantes Oliveira, informa que tem atuado incansavelmente em prol dos trabalhadores do setor metalúrgico nas negociações junto ao sindicato patronal (o Sindmecsul) e, dessa forma, não tem medido esforços para fechar a convenção coletiva de trabalho 2020/2021, mas que tem esbarrado na resistência da entidade patronal.

Vale informar que a data-base da categoria é maio e que, desde abril deste ano, o STIMMMERR tem enviado proposta e contra-proposta para o Sindmecsul, sendo que, até a presente data, o sindicato patronal através da sua diretoria tem se recusado a sentar com os representantes da categoria para negociar a convenção coletiva de trabalho e a reposição salarial dos trabalhadores do setor metalmecânico de Rondonópolis para 2020.

Conforme o assessor sindical Gilberto Gomes da Silva, a última contra-proposta do STIMMMERR foi no sentido de 5% de atualização na carteira de trabalho e de um piso normativo de R$ 1.268,00. Ocorre que proposta feita à categoria metalúrgica veio apenas através do ofício e oferecendo a reposição para os salários já defasados somente no ano de 2021. “Com isso, a categoria ficaria sem reajuste em 2020”, enfatiza.

Em meio a essa realidade, o STIMMMERR tem aberto espaço para negociações individuais diretas com as empresas do setor, para que os trabalhadores não sejam tão prejudicados. Contudo, continua trabalhando para chegar a um acordo quanto ao reajuste relativo a 2020. “Apenas estamos pedindo a correção das perdas salariais”, enfatiza.

Nesse contexto, o presidente do STIMMMERR está mobilizando a categoria do setor metalúrgico e assegura que não vai aceitar imposições do sindicato patronal, pedindo respeito e consideração ao trabalhador do setor que muito tem contribuído para o desenvolvimento do setor metalmecânico de Rondonópolis e região.

“Reiteramos a nossa confiança nas empresas dos setores metalúrgico, mecânico e de material elétrico, entendendo que capital e trabalho fazem parte de uma só engrenagem e que o trabalhador é parte importante no desenvolvimento da empresa e que deve ser remunerado como tal”, destaca Gilmar.

 

Por fim, o presidente do STIMMMERR repudia a conduta adotada pela atual diretoria do sindicato patronal, segundo ele, composta por uma minoria despreparada, que “certamente não representa a grandeza dos interesses das empresas no setor metalúrgico”.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here