O título deste artigo vai de encontro à frase mais famosa do mundo dita por Hamlet, durante o monólogo da peça homônima de William Shakespeare, no Ato III, Cena I: “ser ou não ser, eis a questão”.

Uma frase que expressa a dúvida de Hamlet entre viver ou morrer, considerando que vida é cheia de tormentos e sofrimento, mas o medo do que possa vir após a morte o impede de suicidar-se.

Pois bem, eu defendo que o problema não é ser ou não ser, existir ou deixar de existir, mas, “como” ser e “como” existir, mesmo em situações adversas, que provocam tormentos e sofrimentos a praticamente todas as pessoas, em tempos e graus diferenciados, bem como reações também diferenciadas de pessoa para pessoa.

A partir desse ponto de vista, o modo como encaramos e reagimos aos desafios colocados pelo cotidiano é o grande segredo da vida.

Se somos impetuosos e reagimos de modo irracional, não podemos esperar resultados positivos de nossas ações.

Por outro lado, se nos detivermos a analisar a situação, com calma, pesando os prós e contras de uma possível intervenção, aí sim, é possível que consigamos enfrentar os desafios de modo mais eficaz e a sensação de vitória é sempre dignificante.

Nessa perspectiva, “como ser” e/ou “como viver” pode ser a questão fundamental do ser humano!

 

(*) Wilse Arena da Costa, Profa. Doutora em Educação. Palestrante, Escritora e Membro Fundadora da Academia Rondonopolitana de Letras/MT, Cadeira n° 10.

 

 

PROCURAR REFERÊNCIAS – Hamlet, durante o monólogo da peça homônima de William Shakespeare, no Ato III, Cena I: “ser ou não ser, eis a questão”.

 

1 COMENTÁRIO

  1. Como faz bem perceber o quanto suas avaliações da vida são pertinentes e como fica tudo mais fácil quando paramos para pensar em cada atitude. PARABÉNS QUERIDA PRIMA .

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here