Coronel Bonoto, do PRTB, que disputou a Prefeitura neste ano: “a gente não entrou na disputa do poder pelo poder”

 

Passadas as eleições, o coronel Vanderlei Bonoto Cante, do PRTB, que disputou o cargo de prefeito neste ano em Rondonópolis, externou ontem ao A TRIBUNA que a experiência política foi válida, considerando o propósito de trazer uma nova forma de se fazer campanha. “Buscamos fazer uma campanha limpa, com proposição de ideias”, garantiu o militar.

Coronel Bonoto argumenta que muitos podem até achar, no momento, um tanto “romântica” essa proposta de campanha, sem uso de fundo eleitoral, sem uso de fundo partidário e sem coligação com outros partidos em troca de cargos, entre outras práticas.

“Fizemos uma campanha de baixo custo, levando propostas”, explicou. Contudo, atesta que se trata de uma semente que foi plantada, visando dar frutos futuramente.

 

Em relação ao desempenho do seu partido e da sua candidatura nestas eleições, Coronel Bonoto cita que houve várias limitantes, como o tempo reduzido de rádio e TV, a formação de chapa pura e a guerra de pesquisas que induz as pessoas ao voto útil.

Além do mais, aponta que o atual prefeito estava com a máquina pública na mão. “Isso é um sistema gigantesco!”, observa ele, acrescentando que Zé do Pátio governa para a minoria porque é tradicionalmente eleito pela minoria do eleitorado.

O militar fez questão de enfatizar que, durante a campanha, sua candidatura já tinha levantado vários problemas administrativos da gestão do prefeito Zé do Pátio, como os que acarretaram ontem na Operação “Stop Loss”, que apura ocorrência de supostas irregularidades na aquisição de materiais pela Prefeitura, com dispensa de licitação, no período de pandemia.

Nisso, ele observa a problemática de não se chamar concursados para a Procuradoria-Geral do Município, mas comissionados.

Bonoto também atesta que sua candidatura foi a que verdadeiramente representou os movimentos liberais conservadores e Movimentos Pró-Bolsonaro em Rondonópolis, como o Pró-Armas e Aliança pelo Brasil. Apesar de ser muito precoce para traçar algo sobre o seu futuro político, adianta que essa defesa da direita conservadora vai continuar.

“O certo é que estaremos nos Movimentos Pró-Bolsonaro em 2022, independente de disputar cargo eletivo ou não”.

 

Nesse contexto, Coronel Bonoto informou que está perto de se aposentar do Corpo de Bombeiros, mas acredita que ainda tem mais a contribuir com Rondonópolis. Inclusive, diz que está aberto a novos projetos, desde que sejam viáveis e coerentes.

“Estaremos com Bolsonaro em 2022. O que vai vir junto com isso eu não sei”, reforçou.

 

Ele ressaltou que seu maior propósito nesta campanha foi implantar uma nova forma de fazer política e, ao final, principalmente após os debates, acredita que a população começou a perceber isso.

“A gente não entrou na disputa do poder pelo poder”, assegurou para a reportagem.

 

No momento, Bonoto está em licença prêmio e deve reassumir o Comando Regional II do Corpo de Bombeiros no começo de 2021.

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here