Professora Luzia Nascimento: “Temos muito o que aprender e também ensinar sobre a questão racial” – (Foto – Deivid Rodrigues/A TRIBUNA)

 

A candidata ao legislativo municipal, professora Luzia do Nascimento (PCdoB), vê na Câmara Municipal um espaço para ampliar debates, principalmente, na área de educação, nas questões raciais e inclusão da população negra e em defesa das mulheres.

Professora há 40 anos, e atualmente servidora da rede municipal, Luzia sempre esteve ligada aos movimentos sociais e populares e pela segunda vez busca uma vaga na Câmara de Vereadores. A primeira foi em 1996.

A candidata explica que até pela experiência adquirida na educação, uma das pautas principais que defende é a necessidade urgente de se buscar formas de ampliar as vagas em creches.

“Sabemos que houve avanço em Rondonópolis com a ampliação do número de creches e, consequente, com abertura de maior número de vagas, porém ainda é necessário ampliação.

Sabemos que existe uma demanda enorme de crianças na fila para uma vaga na rede municipal. Infelizmente ainda não se atende a demanda”, afirma e reforça que o investimento na educação infantil, com aumento das vagas, também é uma forma de contribuir para que as mulheres se mantenham inseridas no mercado de trabalho.

 

Ampliar o debate sobre a questão racial na cidade é outro ponto que para Luzia precisa ser priorizado.

“Temos muito o que aprender e também ensinar sobre a questão racial. Os negros em Rondonópolis, infelizmente, em sua maioria, ainda são marginalizados.

Moram em bairros mais pobres, com infraestrutura mais precária, têm mais dificuldade de acesso à educação e ao mercado de trabalho. Temos que discutir a inclusão da população negra”.

 

A candidata também ressalta a necessidade urgente de se debater a condição da mulher. Luzia destaca os altos índices de violência contra a mulher na cidade e que é preciso lutar pela instalação de Delegacia da Mulher 24h, mesmo porque, na sua avaliação, os crimes contra as mulheres são mais comuns de ocorrerem após as 18h e em fins de semana.

“A mulher não pode estar desamparada quando mais precisa”, pontua.

 

3 COMENTÁRIOS

  1. Um exemplo de mulher e de profissional, uma pessoa focada em melhorar nosso município. Com certeza iríamos ganhar muito com ela. Feliz em saber disso.

  2. Lá vem esses esquerdistas com suas cotas! Não precisamos de cotas, primeiro porque todos somos iguais e quando se tem “cotas” cria-se desigualdade, todos tem acesso a informação, escola, educação e tudo mais! esta na hora de dar um basta!

    • A falta de estudo causa esse tipo de comentário. É necessário você estudar e ler mais, vergonhoso como esse tipo de gente tem acesso a internet. Antes ser esquerdista e ter o mínimo de inteligência do que ser um gado que só reproduz comentários esdrúxulos e de extrema pobreza em argumentos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here