Delegado Claudinei parabeniza todos os envolvidos com a implantação do inquérito policial eletrônico para atender as delegacias de Mato Grosso – (Foto: Divulgação)

 

O deputado estadual e presidente da Comissão de Segurança Pública e Comunitária da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), Delegado Claudinei (PSL), em sessão ordinária, nesta quarta-feira (23), parabenizou todos os envolvidos na conclusão da implantação do inquérito policial eletrônico nas delegacias da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso (PJC) que vai garantir uma economia de cerca de R$ 2 milhões ao ano para o governo estadual.

“Quero parabenizar o governo de Mato Grosso, Sesp (Secretaria de Estado de Segurança Pública), a direção da PJC – em nome do delegado-geral Mário Dermeval – por essa tecnologia que foi 100% e efetivamente implantada, que faz com que Mato Grosso seja o primeiro estado do Brasil a ter concluído a inserção do sistema em todas as delegacias espalhadas pelo estado”.

 

Claudinei assinala que o governo estadual vai ter uma importante economia com o inquérito policial eletrônico que vai evitar a geração de impressões de papéis, deslocamento de viaturas e gasto com combustível, melhorias no espaço físico, os servidores não vão precisar levar e buscar processos da delegacia para o Fórum – o que vai otimizar o trabalho para outras prioridades.

 

Sistema

Nesta presente data, o delegado titular da Delegacia de Polícia de Poxoréu (MT), Rafael Fossari, protocolou o seu primeiro procedimento com os sistemas integrados do Geia – já utilizado pela Polícia Civil desde 2012 – e o Processo Judicial Eletrônico (PJe) do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT).

“Hoje, foi o primeiro procedimento que protocolei. Tínhamos, dois sistemas separados que era da Polícia Civil e o outro do Tribunal do Poder Judiciário. Um não conversava com o outro.

Então, nós tínhamos que fazer um procedimento no nosso sistema, escaneá-lo para poder incluir no sistema judiciário. Era bom, era. Mas não era o ideal, por que acabava gerando mais trabalho. Agora, os dois sistemas conversam. Você faz o inquérito eletrônico, clica no botão e manda direto para o judiciário”.

 

Rafael considera que essa inovação vai dar maior agilidade e confiança no trabalho da polícia civil.

“Tudo fica documentado no sistema. Além da facilidade, gera a confiabilidade no sistema. Você consegue saber o dia e a hora que foi para o Fórum. Acho que isso foi uma revolução.

Não é um sistema complexo, a gente consegue operar com facilidade. Agora é tudo no sistema. Em apenas cinco minutos, você consegue ter acesso”, pontua.

 

Desde o ano passado, a PJC trabalha com a implantação deste sistema tecnológico moderno.

O inquérito policial eletrônico envolve o uso de leitores biométricos, assinaturas digitais, discos de armazenamentos, entre outros equipamentos. Todo este processo também contou com atuação do Ministério Público e Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here