Após 4 meses de ter recebido de Nelson Teich a chefia do Ministério da Saúde, o general do Exército Eduardo Pazuello será efetivado como ministro da Saúde – (Foto: Divulgação)

 

Depois de quatro meses como ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello será efetivado no cargo. A cerimônia de posse ocorrerá nesta quarta-feira (16).

Pazuello assumiu interinamente o comando da pasta em 16 de maio, em meio à pandemia do novo coronavírus no Brasil. Ele substituiu Nelson Teich que ficou um mês no cargo, e que havia substituído Luiz Henrique Mandetta.
Tanto Teich quanto Mandetta deixaram o cargo por divergências com o presidente Jair Bolsonaro sobre as políticas de combate ao novo coronavírus.

Temas como o distanciamento social e o uso da hidroxi-cloroquina no tratamento da covid-19, colocaram o presidente e seus ministros em lados opostos.

Nesses quatro meses, o então ministro interino Pazuello defendeu o tratamento precoce de covid-19 e a autonomia de estados e municípios na adoção de políticas de isolamento social.

Ele também se posicionou em alinhamento com o presidente Bolsonaro ao defender o uso da cloroquina, que segundo especialistas, não tem eficácia cientificamente comprovada no tratamento de covid-19.

Já com ele à frente da pasta, o Ministério da Saúde estabeleceu uma nova diretriz com orientações para o uso precoce da cloroquina e da hidroxicloroquina no tratamento da covid-19, inclusive para casos leves. Ao mesmo tempo, o ministro destacou que não vê nada de errado em questionar o uso do fármaco para esse fim.

General do Exército, Pazuello é especialista em logística. O militar foi coordenador logístico das tropas do Exército durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, além de ter coordenado as operações da Operação Acolhida, que presta assistência aos imigrantes venezuelanos que chegam a Roraima fugindo da crise política e econômica no país vizinho.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here