O sonho de construir e/ou reformar volta a se tornar realidade, apesar do cenário trazido pela pandemia, causando otimismo no setor para os próximos meses – (Foto: iStock/Reprodução/StekoBg)

 

A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) divulgou no final do mês de junho, resultados do seu “Termômetro”, que revela que para 34% das empresas associadas o desempenho nas vendas em maio foi considerado bom ou muito bom.

Já em junho essa mesma expectativa subiu para 44% das empresas, enquanto 43% vislumbravam período regular.

Para julho a expectativa de ter vendas com desempenho bom ou muito bom permanece em 44%.

De acordo com o levantamento, quando perguntadas sobre as expectativas sobre ações governamentais, as muitas medidas propostas pela indústria e já adotadas começam a causar efeito positivo na percepção das empresas.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

No mês de junho 26% das empresas se mostraram otimistas com as ações para os próximos 12 meses. Em maio, 13% estavam otimistas, ou seja, dobrou a confiança sobre tais medidas.

Outro importante dado positivo apontado na pesquisa é que, apesar dos impactos da crise, a pretensão de investimentos no médio prazo subiu de 43%, em maio, para 52% em junho.

O nível de utilização da capacidade instalada registrado foi de 64% em junho, no mês anterior a capacidade instalada estava em 53%. Rodrigo Navarro, presidente da Abramat, revela:

“Notamos que apesar das dificuldades impostas pela pandemia, o setor começa a enxergar a possibilidade de retomada nos próximos meses.

Essa perspectiva muito se dá devido à aceitação das propostas feitas ao Governo e sua implementação, além dos esforços de todos visando a saúde e a queda no número de infectados pela Covid19”.

“A reabertura do comércio e demais serviços, além da continuidade de obras, tudo isso com os devidos cuidados, também podem contribuir para que a indústria de materiais de construção amplie seu nível de utilização de capacidade instalada.

Acreditamos que o caminho é longo, mas vislumbramos um relativo otimismo para os próximos meses”.

 

(Foto: iStock/Reprodução/StekoBg)

 

Em uma entrevista ao Mapa da Obra (MDO), do grupo Votorantim Cimentos, Rodrigo Navarro, presidente da Abramat, respondeu sobre quais as expectativas para o setor em termos de resultados. Confira a seguir:

MDO – Qual a expectativa da ABRAMAT com relação aos resultados deste ano, considerando o impacto da pandemia?

Rodrigo Navarro – A expectativa é de redução da previsão original de crescimento feita em janeiro (4%), após os crescimentos de faturamento verificados no setor em 2018 (1%) e 2019 (1,6%).

Estamos aguardando a divulgação de mais dados oficiais para que a FGV possa fazer uma estimativa mais acurada sobre os impactos. Provavelmente, teremos uma projeção para divulgar nesse mês.

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————

————————————————————————————

 

MDO – E com relação ao segundo semestre? Podemos esperar uma melhora?

Rodrigo Navarro – Entendemos que sim, provavelmente teremos uma melhora. Claro que também há incertezas, como riscos de uma “2ª onda” e de um “abre e fecha” de atividades.

Mas estamos relativamente otimistas, acreditando pelos indicadores que temos e das pesquisas com nossos associados, que os piores resultados já devem ter sido os do 2º trimestre.

MDO – A capacidade ociosa da indústria pode gerar uma ruptura com relação ao varejo dos materiais de construção?

Rodrigo Navarro – Não, inclusive, em muitos casos, a retomada das atividades está acontecendo de forma mais acelerada e a capacidade ociosa das fábricas voltando próximo ao patamar de antes da crise.

MDO – Como a indústria pode se portar para reduzir os prejuízos financeiros e manter os empregos?

Rodrigo Navarro – A indústria fez uma série de propostas ao Governo e houve a implementação de muitas delas.

Assim, todas as medidas possíveis estão sendo tomadas dentro do ambiente regulatório vigente para que a saúde das pessoas seja priorizada e também a saúde financeira das empresas, pois disso depende emprego e renda de muitos trabalhadores.

A definição da indústria e comércio de materiais de construção, assim como as obras, como atividades essenciais, foi outro ponto que ajudou nesse momento crítico.

Agora, nossas atenções com relação aos efeitos da crise se somam aos cuidados que teremos de ter no pós-crise, para que essa retomada seja feita com cuidado e sucesso.

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————

————————————————————————————

 

Feirão da Construção e Reforma Online

Contribuindo com a retomada do setor, a cooperativa Sicredi Sul MT está promovendo durante todo o mês de agosto, o 3º Feirão da Construção e Reforma com condições especiais para aquisição de:

materiais de Construção, vidraçarias, madeireiras, móveis planejados, comércio de ferragens, marmorarias, piscinas, sistema de energia solar.

Diferentemente das edições anteriores, a ação será realizada de forma online em toda a região de atuação da cooperativa.

O feirão possibilita o parcelamento do crédito em 48 vezes para construção e reforma, e até 72 vezes para a instalação de sistema de energia solar, além da carência de até seis meses para começar a pagar.

Para ter acesso à linha de crédito especial oferecida no Feirão, os interessados, seja associado ou não associado, deverão efetuar o cadastro pelo site www.sicredi.com.br/sulmt.

Após isso é preciso levar o orçamento dos materiais, feito pela loja parceira a uma agência do Sicredi durante o período de vigência, de 1º a 31 de agosto.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here