Ibrahim Zaher: “Anda entusiasmado com o seu projeto de pré-candidato a prefeito, e se o grupo decidir pelo seu nome, terá uma mulher como vice, que poderá ser dona Bete…”

 

1 – Senhores e senhoras,

começamos a Coluna de hoje, comentando que após a publicação, do A TRIBUNA, da matéria “Disputa acirrada: 12 nomes já aparecem como pré-candidatos a prefeito”, originaram vários comentários nos bastidores da política.

O primeiro deles é que em meio a este grande grupo, logo logo as candidaturas reais estarão se consolidando, tendo em vista a proximidade do período das convenções partidárias, a serem realizadas no período de 31 de agosto a 16 de setembro.

Lembramos ainda que as eleições municipais têm data para ocorrer em 15 de novembro, ou seja, falta pouco mais de três meses para acontecer e de agora para frente estamos vendo os bastidores da política se movimentando mais, mesmo neste período de crise da pandemia do novo coronavírus.

Existe uma consciência de que precisa diminuir o número de candidatos em oposição a reeleição do prefeito José Carlos do Pátio, mas aí é que está o X da questão. Quais desses candidatos desistirão da disputa?

É uma novela para vários capítulos ainda. Vamos assistir de cadeirinha e depois contamos o resultado.

2 – Uma outra situação

bastante avaliada, é referente a possibilidade das abstenções nas próximas eleições serem maiores do que nas eleições de 2016, que segundo a justiça eleitoral chegou ao total de 26.928 votos (abstenção), ou seja, 18,57% dos eleitores aptos ao voto, que não compareceram às urnas.

Neste sentido, muitas lideranças políticas têm comentado que as pessoas estão com receio de irem votar, devido o risco de contrair o novo coronavírus, uma vez que teremos aglomerações.

Nas últimas eleições municipais em Rondonópolis, 118.116 eleitores compareceram às urnas. Destes, os votos válidos totalizaram 108.640 (91,98%), os brancos 2.909 (2,46%) e os nulos 6.567 (5,56%).

Nesta mesma eleição, o prefeito Zé Carlos do Pátio (SD) foi eleito com 39.352 votos, um percentual de 36,22% dos votos válidos; em segundo lugar ficou o ex-prefeito Percival Muniz, hoje filiado no PDT, com 37.796 votos, um percentual de 34,79%; em terceiro ficou o candidato Rogério Sales (PSDB), com 29.920, um percentual de 27,54%; e por último o candidato a prefeito Rubens Santuário (PSOL), com 1.572 votos, um percentual de 1,45%.

3 – Como já sabemos,

o Partido dos Trabalhadores segue com o projeto de pré-candidatura a prefeito do médico Kleber Júlio Amorim da Silva. Tendo em vista as proximidades da data para a realização das convenções partidárias, evento que homologa os nomes dos pré-candidatos que realmente irão para a disputa eleitoral, o PT está discutindo nomes que poderão compor a chapa majoritária para vice-prefeito.

A princípio fomos informados que a avaliação do PT, a melhor formatação para a disputa seria uma “dobradinha” com uma candidata mulher com o Kleber Júlio. Vários nomes estão sendo sondados, inclusive da classe estudantil na Universidade Federal de Rondonópolis (UFR).

 

Urna eletrônica: “Situação bastante avaliada é a possibilidade das abstenções nas próximas eleições serem maiores do que em 2016, devido a pandemia do coronavírus…”

4 – Nesta semana

fomos informados que o pré-candidato a prefeito Thiago Silva (MDB), começou a intensificar o seu projeto político. No grupo dos quatro pré-candidatos que Thiago Silva participa, com Rodrigo da Zaeli, Thiago Muniz e Ibrahim Zaher, fala-se em definir uma candidatura única.

Atualmente Thiago Silva está no foco das articulações, sendo que em avaliações internas recentes, ele teria ultrapassado o prefeito Zé do Pátio em pesquisas.

Verdade ou não, sobre esta avaliação, é que na semana que passou Thiago fez uma visita para o ex-vereador Fulô e sua esposa Elisabete Oliveira, a dona Bete.

Já falamos aqui na Coluna, que dona Bete é nome forte do MDB na Vila Operária para emplacar como candidata a vice-prefeita, mas existe o inconveniente de ser do mesmo partido do Thiago, e na definição de uma chapa terá que haver composições partidárias.

Em outra oportunidade quem andou sondando a dona Bete para esta proposta foi o pré-candidato a prefeito Ibrahim Zaher (PSB), o qual vem falando aos quatro cantos que ele está pronto para o embate e precisa do apoio do grupo, e aí a dona Bete se destacaria como a vice indicada pelo MDB, com o grande apoio da Vila Operária, que sempre se pontuou como o fiel das eleições em Rondonópolis.

5 – Em outra avaliação geral

das próximas eleições municipais, as cidades de Mato Grosso, em especial Cuiabá e Rondonópolis, poderão ter eleições mais diferenciadas em comparação a outros estados.

Isso, porque neste período estão previstas as visitas do presidente Jair Bolsonaro e também do ex-presidente Lula à Mato Grosso, dada a eleição suplementar para o Senado da República, que ocorrerá paralelo às municipais.

Neste sentido, imaginamos que estas lideranças nacionais vão pedir votos para seus candidatos ao Senado e consequentemente aos candidatos a prefeito e vereadores companheiros de partidos e coligações para a majoritária. Sem dúvidas, serão dois grandes cabos eleitorais.

6 – Todos

acompanhamos nesta semana a situação em que o prefeito Zé Carlos do Pátio (SD) corre o risco de não poder concorrer às eleições municipais previstas para o dia 15 de novembro, em busca da reeleição, dada a uma decisão de segunda instância, do TJMT, dando provimento a uma ação de improbidade administrativa em que o prefeito foi condenado por realizar contratações temporárias sem previsões legais.

Desta, Pátio ainda poderá recorrer a Brasília e escapar de ficar inelegível, no entanto, ele não responde somente este processo, existem outros que já estariam em segunda e terceira instância, e também poderão provocar um desfecho que complicaria Pátio na buscar pela reeleição.

 

Um destes processos é que Pátio foi condenado por improbidade administrativa por irregularidades num contrato de publicidade, que teve preço inicial de R$ 600 mil e que após uma série de aditivos chegou em R$ 4,6 milhões.

Em primeira instância, Pátio sofreu a suspensão dos direitos políticos, mas só sentirá os efeitos na prática da condenação – como a proibição de disputar eleições, por exemplo -, após a confirmação da sanção em sede de 2ª instância e depois, como agora, em terceira.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here