Da redação do Jornal A Tribuna, era possível ver a fumaça na região da reserva indígena

 

O Corpo de Bombeiros de Rondonópolis trabalhava, até o fechamento da edição, para conter um incêndio florestal na Reserva Indígena Tadarimana. Segundo as informações, os primeiros focos tiveram início ainda na sexta-feira (31), e neste sábado (1º), com muita ventania, ganharam maior proporção.

As informações recebidas são de que, até a tarde deste sábado, uma área de aproximadamente 100 hectares já havia sido destruída. No local, além dos bombeiros, trabalham alguns brigadistas e as comunidades indígenas que vivem na Tadarimana, que também possui uma brigada própria. Pelo que tudo indica, o fogo começou às margens do Rio Vermelho e seguiu mata adentro.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

Conforme os relatos, o incêndio é de grandes proporções e as equipes enfrentam dificuldades devido a mata muito seca e o vento, que potencializa a queimada. A cidade de Rondonópolis começou a ser afetada pela fumaça na manhã de sábado e, de vários pontos do município, era possível ver a fumaça escura na região da mata.

A Reserva não enfrentava um incêndio deste porte desde 2017, quando a mata queimou por vários dias e deixou a cidade debaixo de fumaça por um longo período. Além de afetar Rondonópolis, a fumaça também atinge drasticamente as famílias que vivem na Reserva, e sofrem diretamente os efeitos da fumaça, além da destruição provocada pelo fogo na área em que vivem.

 

8 COMENTÁRIOS

  1. Precisam parar de culpar as Reservas Indígenas. Quem são os interessados em queimar as florestas e o Cerrado?🇧🇷 O Brasil está cheio de bandidos, grileiros e leis governamentais do Executivo Federal, contrárias ao desenvolvimento sustentável e a favor da desordem👎✊😷

  2. Todos os anos tem essas queimadas na Aldeia ( é só procurar na internet) e sempre os índios não sabem de nada, será que esse cacique não pode ser responsabilizado? Com essa pandemia e agora essa falta de ar. Deviam ter respeito por outros seres.

  3. Que ABSURDO. Todo ano essa fumaça, como que a gente respira???? Nao tem cabimento, todo ano essa fumaça e bem a noite, amanhece o dia e a situação piora.. cadê os responsáveis por essa fumaça, incêndio ser preso????

  4. O mais incrível é que todos os anos temos essa mesma situação! A “Reserva Tadarimana” tem esses incêndios e nunca se chega a conclusão nenhuma! mas a população além de ter que conviver com a pandemia, agora convive com mais essa ação e suas consequências a fumaça que tomou conta da cidade! Infelizmente tenho que dizer que esse problema são os próprios indígenas que causam por sua “tradição” e que comecem os mi mi mi…

    • Sr. Becher, concordo com seu comentário.
      Tenho uma ideia, na verdade uma proposta de “ajuda compartilhada”.
      SE OS ÍNDIOS TADARIMANAS conseguirem todos os anos controlarem os incêndios, o governo paga EM DOBRO as produções deles. O TRIPLO se for o caso, pois ficará muitíssimo mais barato do que o estado gasta com tudo que envolve essas queimadas: Saúde, Trânsito, Custos Operacionais Bombeiros, Exército, fora os acidentes em rodovias com MORTES.

  5. Estamos muito preocupados com esse incendio e precisamos fazer alguma ação para que isso não volte acontecer. Está na hora de formar grupos de brigadistas voluntarios para estarem de prontidão e ajudar com ações de prevenção, pois toda a Comunidade Indígena e a População da cidade sofreram com as consequências deste incêndio.

  6. Será que esse fogo na Reserva Tadarimana não foi proposital, já que iniciou às margens do Rio Vermelho? Infelizmente vagabundo e irresponsável togador de fogo é que não falta no Brasil.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here