A meu convite ela foi em casa de um amigo
Na vistoria fomos aos fins da propriedade
Com a secretária na sede ficou à vontade
Na volta para casa apresentou-me curiosidades
Quintais, casa, cômodos, roupas sujas
Em abandono a nobreza do azambuja
Para completar o caminho uma chuva
Regou nela desejos de cuidados de amizade

Amigo
Curiosidades
Vontades
Amizades…
Grande amizade!

Seis anos se foram desde então
Amiúde o amigo passou em minha casa
Cada vez Amada contava refrão
A curiosidade com os dois me abrasava
Desconfiava…, mas bem entrelaçada e feliz era ela
E novas descobertas os dois trocaram
E telefonemas, mensagens e zaps os aqueceram
E o crente cria que os dois o respeitariam
Até que Amada e Amigo se entrelaçaram.

Entrelaçaram
Amaram
Gozaram.
Fizeram [-me chorar]
Amada!

(*) Brasilino Jose da Silva é morador em Rondonópolis.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here