João ficou apaixonado
Sentiu vontade de casar
Antes de anunciar o noivado
Previu a construção de um lar.
Dentre os projetos de vida
Escolheu um galho bem alto
E uma casa constituída
Longe do cheiro de asfalto.
Começou sua construção
Sem mutirão sem fila
Buscando uns pedacinhos do chão
Num barreiro nobre de argila.
Não se importava com o calor
Que batia sobre suas asas
Pelo sentimento de amor
Construiria sua casa.
Foi assim por poucos dias
Seu sonho foi concatenando
Presa no bico de fatia em fatia
Viram um operário trabalhando.
Casa redonda parecendo oca
Um sábio da faculdade
Sem repelente sem muriçoca
Nada de moveis por vaidade.
Depois que finalizou o seu teto
Foi buscar a sua amada
Para apresentar o audacioso projeto
Hoje, ela é uma fêmea casada.

(*) Francisco Assis Silva é poeta e militar. Email: [email protected]

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here