Desde a inauguração da fábrica em Rondonópolis, empresa diz que já investiu mais de R$ 600 milhões no Mato Grosso – (Foto: Arquivo)

 

A possibilidade de fechamento da unidade da Cervejaria Petrópolis em Rondonópolis começa a gerar grande preocupação. Após a divulgação da empresa sobre as dificuldades enfrentadas para o funcionamento da unidade, com quase 12 anos de operação, entrevistados pelo A TRIBUNA alertaram para os impactos negativos a serem gerados, visualizando a situação como uma grande perda para a cidade e que ainda representa o começo da regressão do setor industrial local.

   ————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————————————————————————————————

 

 

Segundo informado pela Cervejaria Petrópolis, o grande problema é que a empresa teve o seu regime de incentivos fiscais anulado por decisão judicial, tornando a operação no estado de Mato Grosso pouco competitiva, fato ocorrido em meio à crise econômica provocada pelo novo coronavírus (Covid-19). A fabricante de cervejas está entre os maiores empregadores da cidade, com quase 750 empregos diretos, e gerador de impostos do município.

Sebastião Buquigare, comerciante: “Uma situação desta para a cidade chega a ser um desastre” – (Foto: Arquivo)

“Uma situação desta para a cidade chega a ser um desastre. Nós não esperávamos isso, e os maiores prejudicados são as pessoas que ficarão sem emprego e a Prefeitura que vai perder em arrecadação. Vejo que o governo estadual retirou incentivos. Agora esta indústria irá para outro estado e lograr sucesso lá, enquanto quem perde é Rondonópolis, é Mato Grosso. Como comerciante estou indignado com um retrocesso como este para a nossa cidade. Acho que é preciso acionar as entidades que representam a indústria e o comércio para tentar reverter esta decisão, pois Rondonópolis não deve perder nenhuma indústria”, disse o comerciante Sebastião Buquigaré.

Thiago Silva, deputado estadual: “Precisamos de um esforço concentrado para fomentar a indústria em nossa cidade” – (Foto: Arquivo)

“Há algum tempo a cidade já vem perdendo emprego. Agora esta perda de uma indústria é algo sério. O poder público municipal e estadual tem que rever a sua política para atração de novas indústrias para a Rondonópolis e para o estado de Mato Grosso. Precisamos de um esforço concentrado para fomentar a indústria em nossa cidade. Na Assembleia Legislativa vamos cobrar melhores políticas de desenvolvimento para Mato Grosso, em especial Rondonópolis”, avaliou o deputado estadual Thiago Silva (MDB).

Jailton Dantas, membro do Codipi: “Aqui na cidade nós precisamos de uma política de desenvolvimento mais atrativa” – (Foto: Arquivo)

“Esta é uma notícia péssima para a nossa cidade. Já venho alertando que muitas empresas dos nossos distritos estão planejando deixar a cidade e ir até para o nortão de Mato Grosso. Aqui na cidade nós precisamos de uma política de desenvolvimento mais atrativa. Se continuar da forma que está, Rondonópolis vai perder o protagonismo de segunda maior economia de Mato Grosso”, disse o vereador Jailton Dantas (PSDB), que também é membro do Conselho Diretor da Política de Desenvolvimento Industrial (Codipi).

Valdecir Feltrin, ex-secretário de Receita: cervejaria era a que mais gerava receita para a cidade antes do terminal ferroviário – (Foto: Arquivo)

“Com uma empresa desta indo embora, a cidade perde muito. Esta cervejaria já teve valor agregado de mais de R$ 700 milhões ao ano. Também já foi a que mais trouxe receitas para o Município, antes do terminal ferroviário se instalar aqui”, analisou Valdecir Feltrin, ex-secretário de Receita para a reportagem.

A empresa diz que foi atraída ao Mato Grosso graças ao Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial do Estado (Prodeic) e pelas políticas públicas que visavam o desenvolvimento regional. Além disso, no ano de 2008 quando foi inaugurada, também declarou que escolheu Mato Grosso por uma questão estratégica: a distribuição.

“Colocado erroneamente como prejuízo aos cofres públicos ou perda de arrecadação, a política de incentivos fiscais é, na verdade, uma forma de potencializar o desenvolvimento local, gerando empregos e renda para milhares de famílias. E os dados mostram que o Prodeic obteve sucesso: em estudo de 2018 da Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt), endossado pelo governo estadual, apontou que o programa teve impacto direto na economia e, para cada real investido, gerou R$ 1,25 ou mais de retorno para os cofres públicos”, externou a empresa.

 

2 COMENTÁRIOS

  1. O Estado e o Município são dotados de pessoas que, na política são politiqueiros e na economia um desastre. Temos que pressionar a ambos para que a cervejaria continua em Rondonópolis. Associação comercial e industrial, vereadores e deputados e a população saia às ruas em sinal de protesto e que façam linha de frente pois, além do grande número de desempregados devido ao lixo chinês coronavírus que infestou o mundo inteiro, com centenas de milhares de mortes e ainda acontecendo, agora a falta de visão do Estado em cortar os incentivos fiscais, justamente em época de crise geral e a Prefeitura de braços cruzados. Estamos matando a galinha dos ovos de ouro.

  2. É impressionante, mas as autoridades nao conseguem perceber que a economia nacional entrará em uma profunda recessao com uma queda do PIB superior a 6%. O desemprego atingirá niveis estratosfericos e varias empresas pedirão falencia. Apesar disso, essas autoridades, que carecem de capacidade de analise de conjunturas, tomam uma decisao que levará ao fechamento de uma empresa importantissima para a cidade. O que eles querem? Que Rondonopolis se transforme em uma mega favela?

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here