Presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha: número demonstra que magistrados e servidores estão imbuídos no propósito de manter ritmo de trabalho – (Foto: Divulgação)

 

Em apenas 18 dias, no período compreendido entre 17 de março e 3 de abril, o Poder Judiciário de Mato Grosso registrou 1.393.526 movimentações processuais na Primeira e Segunda Instâncias. Isso significa que o regime instituído para magistrados e servidores desde o dia 20 de março, como medida para evitar a propagação do novo coronavírus, não impediu a realização de um trabalho de excelência e profissionalismo no ambiente de teletrabalho.

Esse número reflete a movimentação de processos nos sistemas Processo Judicial Eletrônico (PJe), Apolo (gerencia os processos físicos da 1ª Instância), Processo Judicial Digital (Projudi) e Proteus (gerencia os processos físicos remanescentes no 2º grau).

Para o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, esse número demonstra que magistrados e servidores estão imbuídos no propósito de manter o bom ritmo de trabalho, impulsionando os processos e entregando bons resultados à sociedade, apesar do momento difícil provocado pela pandemia do coronavírus.

“Mesmo nesse período de incertezas, com a propagação da Covid-19, magistrados e servidores não têm medido esforços para desempenhar suas tarefas diárias via home office. Como representante do Judiciário de Mato Grosso, não poderia deixar de agradecer o empenho de todos pela produtividade recorde que estamos entregando à sociedade”, afirmou.

Em relação ao PJe, o principal sistema utilizado pelo Poder Judiciário, só no Primeiro Grau foram 1.087.123 movimentações processuais e no Segundo Grau, mais 75.404. Nos três demais sistemas, foram registradas outras 230.999 movimentações. São decisões, despachos, arquivamentos, sentenças, entre outros atos cumpridos por desembargadores, juízes e servidores, que comprovam que, independente da pandemia, o Judiciário se mantém produtivo.

 

Alvarás – De 18 de março até 3 de abril, o presidente do TJMT, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, assinou 5.385 alvarás, documento digital expedido pela Justiça, que autoriza a instituição financeira conveniada a disponibilizar, em favor do requerente, a quantia definida em juízo. Nesse período, as liberações somam de R$ 74.921.963,42. O montante demonstra agilidade da Presidência, que além da análise e liberação de alvarás, também coordena os trabalhos de todo o Poder Judiciário de Mato Grosso.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here