Esse um tempo, para olharmos com carinho,
As flores que se abriram no quintal.
Sentir que a comidinha caseira é boa, e não faz mal.
Sabendo que, quem mora na mesma casa,
Tem um valor excepcional.

Esse tempo, é um tempo da restauração.
Em que as pessoas mesmo longes,
Podem se darem as mãos,
Ao se encontrarem num afago por um vídeo,
Para dizer, te amo,
Mesmo sem toque, um oi, estou aqui!

Aquele beijo que o filho nunca teve,
O videogame empoeirado onde está?
O álbum de fotografia que há muito ficou esquecido.
Com fotos amareladas, numa gaveta guardadas.

Aquela ceia ao redor da mesa,
A oração que há muito se perdeu.
Aquele abraço na mulher, um beijo bem dado,
Palavras de afeto que ficou no ar,
Sem tempo de ser falada.

Aproveite!
Esse é um tempo de restauração.
Seja mais humano, nessa humanização.

(*) Isaías Dias é poeta e escritor, Membro ARL. Autor do romance A Chalana do Adeus. E-mail. [email protected]

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here