Auditório da ACIR ficou cheio para reunião sobre o aeroporto local – (Foto: A TRIBUNA)

 

Diversas entidades participaram na tarde de sexta-feira (28), no auditório da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Rondonópolis (Acir), de uma reunião com um representante da Centro-Oeste Airports (COA), empresa que venceu o leilão realizado pelo Governo Federal e passou a administrar um bloco com quatro aeroportos de Mato Grosso, incluindo o de Rondonópolis.

O intuito da reunião, organizada pelo Grupo de Mulheres em Prol de Rondonópolis (GMPR), foi mostrar que a sociedade civil organizada da cidade quer contribuir com a empresa nesse processo de restruturação do Aeroporto Maestro Marinho Franco, bem como saber como estão os investimentos no local, após a COA assumir a gestão há pouco mais de dois meses.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

O diretor da Centro-Oeste Airports (COA), Marco Antonio Migliorini, explicou alguns dos investimentos que estão sendo feitos, dentro do prazo emergencial previsto em contrato, que é de seis meses. “Nós realizamos alguns serviços de pintura, arborização, elétrico, climatização, refletores, entre outros, neste momento inicial. Também conseguimos uma melhoria com relação ao voo para São Paulo pela Azul [Azul Linhas Aéreas], que passa a ser todos os dias”, externou.

Atualmente, o voo entre Rondonópolis e o Aeroporto de Viracopos – Campinas acontece somente seis vezes na semana. A partir de março, serão sete vezes, sendo que a Azul passa a operar também no domingo. O diretor também disse que, somente no mês de fevereiro, esteve três vezes em reuniões com a Azul para negociações quanto ao horário do voo em Rondonópolis, que é durante a madrugada e desagrada boa parte dos usuários.

“Estamos em negociação, que é a longo prazo. Já negociamos algo do time em outros aeroportos administrados por nós, e os resultados vieram, mas algum tempo depois. É preciso esclarecer que uma mudança dessas não envolve somente Rondonópolis e Viracopos, mas toda a malha viária da empresa”, explicou.

 

Marco Antonio Migliorini, diretor da Centro-Oeste Airports (COA), que assumiu o aeroporto – (Foto: A TRIBUNA)

 

Migliorini complementou dizendo que técnicos da COA vão realizar estudos sobre a viabilidade dessas mudanças, e garantiu que o aeroporto de Rondonópolis será tratado da mesma forma que os demais que compõem o bloco adquirido, e que precisa ter funcionalidade para o equilíbrio da empresa.

Tânia Balbinotti, integrante do GMPR, questionou se os passageiros terão que esperar muito tempo para começar a ver as melhorias na estrutura e na funcionalidade do aeroporto. O diretor explicou que o rito é longo, que é necessário muita negociação com as companhias e inteligência para oferecer opções. “O que sabemos é que vamos dar as condições”, garantiu o diretor.

Vale lembrar que, por contrato, a empresa Centro-Oeste Airports (COA) tem o prazo de três anos para aplicar todas as melhorias que estão previstas aos passageiros, e de cinco anos para a reestruturação, modernização e sinalização da pista. Segundo a COA, tudo será feito dentro do prazo e do estudo de viabilidade econômica realizado pela Agência Nacional de Aviação Civil, antes mesmo do leilão.

“Quanto aos voos, estamos nos esforçando e vamos negociar com as companhias, oferecendo condições e estudos sobre viabilidade. Isso foi feito em Mato Grosso pela Prefeitura de Sinop e deu certo, a GOL está operando na cidade. Aqui, como administradores, também vamos batalhar para ter esses avanços”, pontuou Migliorini.

A reunião se estendeu pela tarde e o diretor da empresa respondeu as mais diversas perguntas, feitas pelos representantes de entidades, mostrando que o consórcio está aberto ao diálogo.

 

4 COMENTÁRIOS

  1. Infelizmente nenhuma gestão acreditou, concordo com o Paulo, perder pra Sinop, chega ser inacreditável, mas eu ainda acredito que o problema é político.

  2. É verdade. Pouco caso com nossa cidade . Cadê nossos políticos que só servem p pedir votos em dia de eleição. Perdemos para Sinop com cerca de100.000 mil habitantes e outros. Falta perder p Pedra Preta . Vergonha! Aí dizem não ter passageiros aqui . Enquanto todo mundo vai pegar avião em Cuiabá. Melhor opção. Aqui é a cidade do abandono!

  3. Em palavras claras e sem dúvida, o aeroporto de Rondonópolis continua jogado às traças. Tem muita conversa fiada e empurrando com a barriga as soluções previstas. Rondonópolis não merece o que esta acontecendo. Cidade com mais de 220 mil habitantes e um aeroporto com tudo a desejar. Gestões passadas e presente nada fizeram pela grandeza de nosso aeroporto, tratado como se fosse algo sem a mínima importância. Um bom aeroporto, com todo o conforto e segurança é cartão de visita, mas tem gente que não enxerga dessa maneira.

  4. Excelente a reportagem sobre o nosso aeroporto. Vamos continuar a acompanhar todas as iniciativas e beneficios para que possamos aproveitar bem o nosso aeroporto.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui