Ciretran ainda não disponibilizou novos modelos de placas de veículos aos usuários – (Foto: Arquivo)

 

A substituição das placas veiculares atuais pelas placas do modelo Mercosul está gerando confusão e transtorno em Rondonópolis. Isso porque as novas placas ainda não estão sendo fabricadas no município, o que tem levado as pessoas que precisam das mesmas a enfrentarem dificuldades para regularizarem a situação de seus veículos. A cada dia, aumenta o número de pessoas que se depara com o problema na cidade.

Uma das prejudicadas é a supervisora administrativa Flávia Pacheco, que procurou a Ciretran no último dia 31 de janeiro, para transferir um carro para o seu nome, veículo comprado em outra cidade. Depois de abrir o processo de transferência e pagar todas as taxas, ela voltou e foi vistoriar o veículo, colocou a tarjeta que identifica o município por outra e, quando foi pegar os novos documentos do mesmo, foi comunicada de que teria que trocar toda a placa por uma do modelo novo, tendo também que pagar novos valores para tanto, o que lhe deixou causou transtornos.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————

————————————————————————————

 

 

“Mas o meu processo ainda está dentro da vigência de 30 dias e não me informaram isso no dia em que abri o processo. Aí mudou a regra e me disseram que nem eles mesmo sabiam disso e me pergunto: como é que vendem uma coisa sem ter nenhuma informação. E mais: na cidade ainda não tem dessa placa nova. Como podem cobrar alguma coisa que eles mesmo não fornecem? Agora não posso tirar o novo documento do meu carro enquanto não colocar a placa nova”, contou, indignada.

 

Ela relata que, além de ter que passar pelo transtorno de fazer todo o processo até trocar a tarjeta da placa e ir até o órgão por algumas vezes, agora terá que desembolsar novos valores com a nova placa e com uma nova vistoria, e ainda será obrigada a esperar o processo de credenciamento das empresas para poder emplacar seu veículo. “Eu gostaria que o governo cobrasse da gente uma coisa que esteja ‘redondo’, rodando certinho. Se a cidade não está preparada para isso, não pode cobrar isso da gente. Eu estou indignada!”, completou.

Outro lado

De acordo com Carlos Nazário, chefe da 2ª Ciretran de Rondonópolis, recentemente, o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) baixou uma portaria que determinou que todos os 17 estados que ainda não tinham aderido à nova placa, incluindo Mato Grosso, fizessem isso até o último dia 17. Isso teria pego o Detran do Estado de surpresa e, desde então, o órgão está abrindo os processos de transferência de cidade e de emplacamento de veículos novos, que são obrigados à usarem as novas placas, mas, de acordo com o órgão, os fabricantes de placas ainda não estavam preparados para produzirem o novo modelo em Rondonópolis.

Segundo Carlos Nazário, já há três empresas na cidade credenciadas junto ao Detran estadual, mas ainda falta às mesmas a autorização de acesso ao sistema do Denatran, o que estaria atrasando o emplacamento dos veículos. Ele completa dizendo que essa situação deverá ser resolvida nos próximos dias.

São obrigados a adotarem as novas placas modelo Mercosul os proprietários de veículos novos, que vão realizar o primeiro emplacamento, e os que precisarem realizar a transferência do veículo para outro município ou estado.

 

1 COMENTÁRIO

  1. Fica tranquilo cidadã, assim que as placas chegarem será cobrado uns 300,00 pelo par. Assim poderá ir tranquila para qualquer outro país do Mercosul….
    Agora se não for, pelo menos deixou alguns com o bolso cheio!

    Ano que vem será a vez da implantação do kit primeiro socorros! Valor 500,00 cada kit… kkkkk kkkkk
    Por essa é por outras somos considerados país de terceiro mundo…

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here