Valor é referente ao repasse do Imposto Sobre Serviços gerado pela arrecadação na praça de pedágio, serviços prestados e obras realizadas – (Foto: Arquivo)

 

A cidade de Rondonópolis teve o maior volume de repasse da concessionária da BR-163 em Mato Grosso no ano passado. Somando os seis municípios localizados ao sul/sudeste da BR-163 contaram com repasse de R$ 7,8 milhões da Rota do Oeste em 2019. O valor é referente ao repasse do Imposto Sobre Serviços (ISS) gerado pela arrecadação das nove praças de pedágio, serviços prestados e obras realizadas ao longo dos 850,9 quilômetros no trecho sob concessão. Juntas, as prefeituras concentram 32% dos R$ 24 milhões repassado pela concessionária às 19 prefeituras com área de abrangência na rodovia.

Desde o início das atividades no estado, em 2014, a empresa já repassou mais de R$ 123 milhões às gestões municipais. O ISS é uma das principais fontes de receita municipais e, por isso, tem destinação desvinculada, ou seja, cabe à administração definir a sua melhor aplicação, que pode ser em saúde, educação ou segurança pública, por exemplo. Vale lembrar que antes da concessão da BR-163, este repasse não existia.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————
————————————————————————————

 

 

Em 2019, os municípios do sul que mais contaram com recursos provenientes da atuação da Rota do Oeste na BR-163 foram Rondonópolis (R$ 3,249 milhões), Itiquira (R$ 1,7 milhão) e Jaciara (R$ 1,1 milhão). Em todo o estado, Rondonópolis foi o que mais arrecadou, seguido de Sorriso, com o recebimento de R$ 2,7 milhões.

Considerando o início do repasse, em 2014, Rondonópolis e Sorriso continuam no topo, recebendo R$ 20,4 milhões e R$ 12,4 milhões, respectivamente. No sul, as gestões de Itiquira (R$ 11,8 milhões) e de Jaciara (R$ 4,9 milhões) ocupam o segundo e terceiro lugar em recebimento, respectivamente.

Os montantes repassados pela Rota do Oeste são destinados de duas maneiras para as gestões. O cálculo para o repasse relacionado ao pedágio considera a arrecadação nas nove praças existentes ao longo da BR-163, a abrangência da rodovia em cada município e o percentual de ISS cobrado pela gestão. Com relação às obras, o repasse considera o local onde as empresas realizam as atividades.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here