1 – SENHORES E SENHORAS,
como já acompanhamos no A TRIBUNA na semana que passou, a notícia que movimentou os bastidores da política local foi a possibilidade dos vereadores Cláudio da Farmácia e Adonias Fernandes, ambos do MDB, declararem apoio ao projeto de reeleição do prefeito Zé Carlos do Pátio (SD).

Verdade ou não, sobre esta possibilidade de apoio político, ambos os emedebistas garantiram ao Colunista que até a definição de um nome do MDB para firmar de verdade pré-candidatura a prefeito, os dois vão continuar dando governabilidade ao prefeito.

Agora, numa análise mais profunda sobre o que é essa governabilidade ao Zé do Pátio, sabemos que o MDB está AMARRADO na administração atual, pois segundo “reza a lenda”, ou pode ser informação verdadeira, existem mais de mil pessoas indicadas pelos emedebistas ocupando cargos na gestão de Zé do Pátio, como as irmãs Mariúva e Mariuza e ai segue a lista…

Sendo assim, numa eventualidade de lançar pré-candidatura a prefeito, seja do deputado estadual Thiago Silva ou outro nome, estas pessoas estariam de imediato fora de cargos de chefia ou exoneradas dos cargos de confiança. Na verdade, cada um está é cuidando do seu umbigo.

 

EM NOSSA HUMILDE
avaliação, este tipo de declaração dentro do MDB, se deve a falta de posicionamento firme de sua pré-candidatura a prefeito, pois Thiago Silva que foi lançado ainda no ano passado como pré-candidato a prefeito, acabou colocando em dúvida se realmente vai disputar ou não as eleições municipais.

O MDB é forte na cidade e no Estado, e já seria hora de ter realizando um grande evento para lançar sua pré-candidatura a prefeito e mostrar a sua força. Se Thiago Silva não lançar logo a sua pré-candidatura a prefeito, irá perder o “time” do projeto.

Lembramos aqui que em eleições anteriores, antes das reformas no Código Eleitoral e Lei das Eleições, os nomes dos pré-candidatos a prefeito já estavam definidos há seis meses. À estas alturas já teríamos até chapa de vereadores bem definidas.

Para nós aqui da coluna, esta participação de Thiago Silva no grupo que busca uma única candidatura a prefeito de oposição a Zé do Pátio, serviu e está servindo apenas de atraso. Este grupo já foi por água abaixo, e já faz é hora.

Cada um com suas pretensões. Ali quem não for peitar pré-candidatura, irá apoiar a reeleição de Zé do Pátio, a exemplo do PSB, que tem como pré-candidato a prefeito o ex-vereador Ibrahim Zaher, que já está neste caminho. Pelo que se sabe, até uma ala do grupo de Percival Muniz (PDT) poderá declarar apoio à reeleição de Zé do Pátio.

Amigos da Coluna, está claro que cada minuto que passa sem ninguém firmar pré-candidatura a prefeito, o grupo que busca unificação perde a força e Zé do Pátio ganha aliados.

Até agora não vimos nenhum evento grande que autentique uma pré-candidatura de oposição de alguém desse grupo. Até agora o pré-candidato a prefeito que existe é Zé do Pátio. A classe política opositora tem que acordar para a realidade. São outros tempos. Quem quer, faz acontecer.

 

Cláudio Paisagista: “Filho da grande Vila Operária, vem com discurso para quebrar o paradigma do mesmo grupo político que se alterna no poder desde 1983…” (Foto – Roberto Nunes)

 

2 – TEM MUITA GENTE
que não acredita, mas o Cláudio Paisagista que começou humildemente o seu movimento em busca de uma pré-candidatura a prefeito, jé está bem na frente do grupo que busca a tal pré-candidatura unificada de oposição.

Ficamos sabendo que o Cláudio, nestes últimos três anos, já visitou mais de 10 mil domicílios no município. Ainda leva autenticação de filho da grande Vila Operária e vem com discurso de renovação política na cidade, para quebrar o paradigma do mesmo grupo político que se alterna no poder desde o ano de 1983.

Isso mesmo, estamos nas mãos do mesmo grupo político há mais de três décadas. Com alguns intervalos de gestão com os mandatos do ex-prefeito Hermínio J. Barreto, na época no PFL, e Adilton Sachetti, na época no PPS, que apesar de tudo, inicialmente foi cria de Percival, que era cria de Carlos Bezerra, maior mantenedor desta hegemonia política no município.

Hoje, o Cláudio Paisagista é o único a ostentar a condição de renovação na política e candidatura de oposição ao atual prefeito.

 

ANTES
de relembrar um pouco da história deste grupo político que está no poder há mais de 30 anos, ressaltamos que o grupo que busca a candidatura unificada de oposição a Zé do Pátio, é formado por nomes do PSDB, MDB e antigo PPS, que virou Cidadania. Todos descendentes desta hegemonia do poder que perpetua, de fato, há 36 anos.

 

3 – EM 1983
o prefeito de Rondonópolis era o atual deputado federal Carlos Bezerra (MDB), que hoje quer lançar o seu “pupilo” Thiago Silva candidato à sucessão municipal.

Ele governou até 4 de abril de 1986, quando disputou a eleição para governador do Estado e se elegeu, deixando a Prefeitura com o seu vice o médico Fausto de Souza Faria, também do MDB, que governou de 5 de abril até 31 de dezembro de 1988.

Em 1º de janeiro de 1989, assumiu a prefeitura o saudoso Hermínio J. Barreto (PFL), que governou até 31 de dezembro de 1992.

Em 1º de janeiro de 1993, Carlos Bezerra volta ao poder permanecendo até 28 de março de 1994, quando renunciou a Prefeitura para concorrer vaga no Senado Federal, sendo eleito, e o seu vice-prefeito Rogério Salles (PSDB) assume a prefeitura até 31 de dezembro de 1996.

Em 1º de janeiro de 1997 assume a Prefeitura o médico Alberto Carvalho, também do PMDB. Em 11 de abril de 1999 o doutor Alberto renunciou do cargo.

De 12 de abril de 1999 até 31 de dezembro de 2000, Percival Muniz (PPS), que era seu vice, concluiu o mandato. Aqui vale pontuar que Percival já foi filiado ao PMDB, antes do pleito que ganhou ao lado do doutor Aberto.

Reeleito nas eleições do ano 2000, Percival Muniz ficou como até 2004.

Após Percival, entre os anos de 2005 a 2008, o prefeito foi Aditon Sachetti (PPS).

No mandato seguinte, de 2009 a 2012, a Prefeitura foi conduzida pelo prefeito Zé Carlos do Pátio, que naquele mandato foi eleito também pelo PMDB. Cassado pelo TRE, juntamente a sua vice Marília Salles, por gastos ilícitos na campanha (absolvido mais tarde pelo TSE), Pátio deixou a Prefeitura em 14 de maio de 2012 e o presidente da Câmara Municipal, na época Ananias Filho (PR), assumiu a administração até 21 de dezembro de 2012.

Em 1º de janeiro de 2013, Percival Muniz assume a Prefeitura, após ser eleito nas eleições de 2012 pelo PPS, e conclui o mandato em 31 de dezembro de 2016.

Já em janeiro de 2017, Zé do Pátio retorna como prefeito e deverá concluir o mandato em 31 de dezembro deste ano.

Como podemos ver, esta trajetória política demonstra que realmente a cidade está nas mãos do mesmo grupo há 36 anos.

Em especial, do grupo político de Carlos Bezerra e Percival Muniz.

Será que nas eleições do dia 4 de outubro deste ano, iremos quebrar esta hegemonia? Segundo o Cláudio Paisagista, ele está trabalhando para isso.

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here