O remédio na farmácia
Chegou pra você,
E a bunda da moça
Não para de crescer.

De frio ou tesão,
Pode furar a blusa.
Aquele par de laranjas,
Só tá assim porque não usa.

Ela fez… ela fez!
A simpatia da colher quente.
E os peitos da moça,
Já enchem a mão da gente.

Até em cama de prego
Onde o segredo é levitar,
Mas o problema daqui
É ter que abaixar.

Há uma comparação
Da medida do tornozelo.
Com a entrada do túnel,
Passando pelo joelho.

(*) Hermélio Silva é escritor e membro fundador da Academia Rondonopolitana de Letras, cadeira número 6.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here