Sindicato convocou uma paralisação para hoje, devido ao não cumprimento de acordos feitos com a Prefeitura, situação que é negada pela gestão municipal – (Foto: Arquivo)

 

A direção do Sindicato dos Servidores públicos Municipais (Sispmur) rebateu os pontos apresentados pela Secretaria Municipal de Gestão de Pessoas, que afirmou que as reivindicações dos trabalhadores ou estão em vias de serem implementadas ou de passarem por estudos para serem implantadas. Para o sindicato, a diretoria da entidade realmente esteve reunida com o prefeito para tratar de suas reivindicações, mas, ao contrário do afirmado pela administração municipal, muito pouco dos pontos tratados foram de fato encaminhados para uma solução.

De acordo com o informado pelo Sispmur, a paralisação da categoria, prevista para hoje (13), ocorre principalmente por conta do não atendimento das diversas reivindicações apresentadas desde o início da atual gestão. A entidade afirma reconhecer o empenho do prefeito em pagar a Revisão Geral Anual (RGA) e o salário dentro do mês, mas destaca que isso se trata de uma obrigação do gestor e que “não poderia ser diferente diante da arrecadação municipal”.

 

 

————  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  ————

————————————————————————————

 

 

Segundo o divulgado, o Sispmur em nenhum momento foi cientificado de nenhum levantamento técnico visando a criação do vale-alimentação para os servidores, que faz parte das reivindicações da categoria, e cobra a necessidade de se revisar os Planos de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCVs), criados em 2016, compromisso assumido pelo atual prefeito quando em campanha eleitoral. Outro ponto cobrado são os cursos de qualificação para a elevação de nível dos professores aprovados no último concurso público realizado pela Prefeitura, o que estaria causando prejuízos aos servidores, entre outros pontos.

 

Outro lado

 

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Gestão de Pessoas afirmou que quase a totalidade das reivindicações dos servidores públicos municipais só foi apresentada ao prefeito José Carlos do Pátio (SD) em reuniões que aconteceram nos dias 21 e 28 de janeiro passado e que a atual gestão prioriza a garantia dos direitos dos funcionários públicos, e comentou cada um dos pontos cobrados pelo Sispmur, como a criação de um vale-alimentação para os servidores, que ainda teria que passar por um estudo para se dimensionar o impacto da medida na folha de pagamento.

A nota prossegue afirmando que já foram nomeados 337 novos servidores, incluindo as áreas de Educação, Saúde e Administração Geral e que este ano já tomaram posse 34 novos fiscais e procuradores. O documento ainda recomenda que funcionários que se sintam prejudicados ou queiram alguma remoção que procurem pessoalmente a administração, que irá tratar caso a caso a situação.

Já, com relação aos PCCVs dos servidores, a Secretaria de Gestão de Pessoas informou que é preciso formular um estudo técnico sobre a possibilidades de alteração, mesma situação em relação a reduzir a jornada de funcionários que trabalham 40 horas para o regime de 30 horas semanais. Ainda cita outros casos, como o pagamento do adicional de periculosidade aos vigilantes, que, segundo a Prefeitura, já estaria em negociação entre a gestão, categoria e o próprio Sispmur.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here